simplesmente delícia

7 de novembro de 2017

A ricotta não costuma gerar muitas emoções fortes. Normalmente ela é odiada, tolerada ou apenas ‘gostada’. E é verdade que é um queijo meio insípido, meio enfadonho e talvez até desprovido de uma personalidade mais marcante, mas talvez até por isso mesmo ele seja um bom veículo para experiências interessantes  na cozinha.

Eu descobri a ricotta assada numa receita interessante que durante bastante tempo fiz repetidamente- eu sou assim, uma criatura de hábitos e amores longos. Mais recentemente, simplifiquei-a e agora preparo minha ricotta de forma mais simples, e sirvo com legumes grelhados e salada verde, saindo do forno e até mesmo fria (depois de assada). Uvas vermelhas sem caroços, assadas com um fio de azeite, sal e pimenta por uns 8 a 10 minutos,  ficam especialmente boas com a ricotta.

Ingredientes

1 ricotta fresca inteira, sem o líquido (se houver) [eu gosto da marca Fazenda Vermelha]

Raspas de limão

Um fio de mel

1 colher de sopa de azeite de oliva extravirgem

Sal e pimenta do reino

Modo de preparo

1. Pré aqueça o forno a 180 graus.

2. Seque um pouco a ricotta com papel absorvente se ela estiver muito molhada. Unte levemente  uma pequena travessa que vá ao forno com um pouco de azeite (à parte da colher de azeite da lista de ingredientes) e ponha a ricotta. Raspe um pouco da casca de um limão pequeno, tomando sempre cuidado para não ralar a parte branca da fruta (que é amarga). Regue com um pouco de mel e o azeite. Tempere com sal e pimenta do reino.

3. Leve ao forno por aproximadamente 30 minutos ou até a ricotta estar levemente dourada e um pouco estufada. Sirva quente ou morna, com uma salada verde caprichada, legumes assados e grelhados, etc.

9 de outubro de 2017

Sabe quando o Universo conspira a teu favor e tudo dá certo? Aquela hora que você está atrasada para uma reunião e acha uma vaga em frente ao local? Ou aquele dia em que você tem tanta coisa para fazer, com tanto potencial para dar tudo errado e milagrosamente alguém lá em cima ouve teu suspiro e tudo se resolve ? Então. Foi o que aconteceu com essa receita.
Não começou da melhor maneira possivel, lógico. Eu tinha preparado um monte de batata doce assada uma singela quinta feira à noite mas, meus adoráveis filhos não apareceram para jantar. A  adolescência faz dessas coisas. Eles não esquecem o celular (afinal este está amarrado ao corpo deles) mas avisar a mãe que ‘temos outros planos para jantar’  é uma coisa muito complicada. Enfim.
Sexta feira acordei com um monte de batata doce assada e à procura de inspiração. Foi quando me deparei com essa receita e me apaixonei à primeira lida. O que me chamou à atenção foi o mango chutney. Eu nunca o tinha usado em molho de salada , e nada melhor do que uma experiência nova para inaugurar o pote que eu tinha comprado havia algumas semanas, absolutamente sem motivo. Mas de novo, vou acreditar no poder do Universo e achar que na realidade só comprei o Mango Chutney porque já havia um plano em ação para que esse prato se concretizasse.
Eu tinha também em casa as  cranberries secas e sementes de abóbora (que queria usar no lugar das amêndoas da receita original). Agora me digam se não é um sinal? Mas o mais importante é que o prato final é tudo que eu gosto na vida: ligeiramente picante, crocante, colorido, perfumado e delicioso.
Não se desespere com a enorme lista de condimentos para temperar as batatas. Eu adoro esse mix especificamente mas você pode temperá-las apenas com azeite, sal e pimenta. Ou siga essa receita mais simples e nao menos gostosa. Ou outra mistura de especiarias que você tiver em casa. Lembre de servir esse prato à temperatura ambiente; nunca gelado.
Ingredientes
5 batatas doce médias
3 ou 4 colheres de sopa de azeite de oliva (ou o suficiente para criar uma fina camada de óleo em todos os pedaços de batata)
1 boa pitada de sal
1 colher de sopa de açúcar mascavo
1 colher de chá de coentro em pó
1 colher de chá de curry
1 colher de chá de cominho em pó
½ colher de chá de gengibre em pó
½ colher de chá de pimenta caiena (ou outra pimenta de sua preferência)
6 colheres de sopa de vinagre balsâmico (eu prefiro o balsâmico branco)
4 colheres de sopa de mango chutney
2 colheres de soa de mostarda tipo Dijon
2 colheres de sopa de mel
4 colheres de sopa de azeite de oliva
½ cebolas  roxa grande fatiada bem fina
2 colheres de sopa de um bom vinagre de vinho tinto
2/3  copo de passas brancas ou cranberries secas
½ copo de sementes de abóbora sem casca (ou amêndoas fatiadas)
1 copo de cibulete bem picada (ou use ½ copo de cebolinha bem picada)
Modo de Preparo
1. Pre-aqueça  o forno a 180 graus. Lave e seque bem as batatas. Não precisa descasca-las. Corte-as em pedaços de 6cm aproximadamente, e em seguida parta os pedaços em palitos. Cuide para que os pedaços tenham mais ou menos o mesmo tamanho, para que assem por igual no forno. Ponha todos os pedaços numa vasilha grande e junte o azeite, sal, açúcar, coentro, curry, cominho, gengibre e pimenta caiena. Misture bem.
2. Forre um tabuleiro grande com um pedaço de papel manteiga e arrume as batatas lado a lado, sem que se sobreponham. Leve ao forno quente por 20 minutos, retire o tabuleiro e vire as batata de lado, e asse por mais uns 20 minutos, ou até estarem cozidas por dentro e  douradas por fora. Retire do forno e reserve.
3. Enquanto isso, numa vasilha misture bem o vinagre balsâmico, o mango chutney, a mostarda, o mel, o azeite, sal e pimenta. Reserve.
4. Fatie a cebola roxa finamente, em rodelas, e ponha numa pequena tigela. Regue com 1 colher de sopa de um bom vinagre de vinho tinto e uma pitada de sal. Deixe a cebola amolecer 10 minutos. Toste as sementes de abóbora  (ou as amêndoas)  numa frigideira, de preferência antiaderente. Cuidado para não queimá-las! Quando elas estiverem tostadas e perfumadas, retire do fogo e ponha-as em um prato. Pique as cibuletes (ou as cebolinhas se estiver usando-as).
5. Ponha as batatas doce mornas numa vasilha grande e junte metade do molho. Adicione metade da cebola, metade passas (ou cranberries), metade das sementes de abóbora  (ou amêndoas ), e metade da cibulete. Misture com carinho. Arrume num prato de servir, e distribua por cima o restante da cebola, das passas, das sementes de abóbora  e da cibulete. Sirva a temperatura ambiente, com mais molho a parte, se precisar.

28 de setembro de 2017

Porquê o calor aqui no Rio de Janeiro está me avisando devagarzinho que o fatídico verão está chegando, resolvi fazer logo esse prato -que estava na minha lista há um tempo-, enquanto ainda estamos com uma temperatura que eu possa chamar de ‘humana’. É isso mesmo. Moro no Rio mas não sou nada fã de calor. Por mim seria inverno no Rio o ano todo, com direito a sopas e pratos muito quentes e vinho tinto e casacos e blusas de manga cumprida, lenços no pescoço e chapéu. Adoro um chapéu. É pedir demais uma lareira na beira do mar? Seria ótimo, obrigada.

E essas almôndegas ficaram uma delicia: usei carne suína porque particularmente adoro carne de porco e acho que ela é pouco usada no dia a dia. Mas se você preferir, use metade de carne suína com outra metade de carne bovina.

Servem 4 pessoas, acompanhadas de uma massa ou arroz.

Ingredientes

1 copo de farinha de pão

2 colheres de sopa de leite

1kg carne suína moída (ou 500 gr carne suína + 500 gr carne bovina)

7 dentes de alho

1 colher de sopa de orégano seco

10 bolas pequenas de mozarela de búfala

6 colheres de sopa de óleo de girassol

1 lata de tomates pelados

1 vidro de passata de tomate (680 g)

½ copo de creme de leite fresco (120 ml)

Sal, pimenta do reino e pimenta caiena

½ copo de queijo parmesão

Folhas de manjericão

Modo de preparo

1. Numa vasilha pequena, misture bem o farelo de pão com as 2 colheres de leite. Deixe repousar uns 5 minutos.

2. Numa vasilha grande, ponha a carne moída, 5 dentes de alho espremidos, o orégano, a farinha de pão umedecida, e tempere com sal, pimenta do reino e pimenta caiena. Misture bem. Eu gosto de usar as mãos para isso.

3. Corte as bolas de muzarela para rechear as almôndegas. Os pedaços tem que ter em torno de 1,5 cm. Com um pouco de carne moída, faça uma bola do tamanho de uma bola de golfe. Faça um furo com o dedo e ponha o pedaço de queijo. Feche com cuidado e aperte bem a carne para não correr o risco da muzarela vazar. Prepare todas as almôndegas e reserve.

4. Numa frigideira grande (29 cm) que vá ao forno, esquente 2 colheres de óleo.  Doure 4 ou 5  almodegas de cada vez, virando-as para que dourem um pouco de todos os lados. Elas não precisam cozinhar totalmente pois ainda vão assar no forno. À medida que as almôndegas vão dourando, retire-as da frigideira com uma escumadeira e reserve em um prato. Doure todas as almôndegas , acrescentando mais óleo a medida que precisar.

5. Pré aqueça o forno a 180 graus.

6. Quando acabar de dourar as almôndegas, deixe um pouco da gordura que fritou as almôndegas no fundo da frigideira, e doure os 2 dentes de alho picados restantes. Em seguida adicione os tomates pelados e a passata de tomates. Tempere com sal e pimenta do reino e cozinhe por uns 10minutos. Junte o creme de leite, misture e desligue o fogo. Arrume as almôndegas no molho de tomates, salpique com queijo parmesão e leve ao forno pré aquecido por 25 minutos. Vigie as almondegas e se o molho de tomate começar a secar, cubra com um pedaço de papel alumínio e abaixe um pouco o fogo. Decore com folhas de manjericão e sirva com arroz ou alguma massa.

18 de setembro de 2017

Sábado 16 de setembro é o Dia Mundial de Limpeza de Rios e Praias. É aquele dia em que mundo afora pessoas saem para ajudar a limpar suas praias e seus rios da quantidade assombrosa de lixo que ali flutua. Eu desci na minha praia local, munida de sacos de lixo (biodegradáveis) e luvas e a quantidade de plásticos que catei foi impressionante. Mas até aí tudo mais ou menos bem, afinal todo nós sabemos o quão sujos estão nossos mares,certo? O que me assombrou verdadeiramente foi a quantidade de canudos de plástico que recolhi na areia.
Os números são assustadores. No Mundo todo, 90% do lixo dos oceanos é plástico. Apenas nos Estados Unidos, são 500 milhões de canudos descartados diariamente (não achei um numero fiável para o Brasil). Pense nisso. Todos os dias 500 milhões de canudos vão para o lixo apenas naquele país. E esses canudos não são biodegradáveis, o que quer dizer que levam até 100 anos para decompor (quem não lembra do triste vídeo da tartaruga). Por serem tão leves, os canudos voam e rapidamente terminam nos mares e areias piorando o desastre ecológico.
Os canudos de plásticos correspondem a 4% do lixo plástico do mundo, mas por terem a vida útil  tão curta (afinal o descartamos imediatamente assim que terminamos a bebida) são uma das coisas cujo hábito podemos mudar rapidamente e sem sofrimento. Pense nisso cada vez que for a um bar, restaurante ou lanchonete. Diga NÃO aos canudos oferecidos.
Nos, consumidores, temos o poder nas mãos. Temos o dever de provocar uma mudança radical nos nossos hábitos.
#mareslimpos
E não se esqueçam de levar BOLSAS REUTILIZÁVEIS para o mercado! Os sacos plásticos também são um gigantesco problema!

14 de agosto de 2017

Estamos na segunda quinzena de agosto. Como pode isso? Como chegamos aqui tão rápido? Finado o susto desse tempo que só voa, veio a lembrança do aniversario do filho, meu leonino preferido. Aí eu lembro que ele está fazendo 19 anos e outro susto abala os alicerces dessa pessoa que vos escreve. Serio isso? Ele nasceu ontem. Literalmente ontem.

Naquela noite estava tendo um show de musica de uma banda famosa numa casa de espetáculo em frente ao hospital.  A região estava toda parada, o transito não circulava e o pai quase não chega a tempo de ver seu pequeno rebento de 4kgs nascer. Isso foi ontem. Não sei aonde foram passar os últimos anos.

E esse foi o seu bolo de aniversario esse ano. Sim, é o tipo de bolo que vai te fazer cair em tentação depois que você foi uma boa, aliás, uma muito boa, pessoa durante muito tempo e acha que não cai mais em armadilhas como essa… Mas como tudo na vida tem um lado positivo, esse bolo é tão rico e denso, que apenas uma pequena mordida já te põe no caminho direto para o Nirvana.

Você pode usar tranquilamente quatro latas de leite condensado para o recheio, mas eu queria brigadeiro escorrendo pelas laterais, com esse efeito de ‘excesso’ mesmo, e por isso usei as seis latas. Se você for mais comedido e razoável do que eu, diminua para quatro latas.

Ingredientes

420 gramas de farinha de trigo

75 gramas de cacau em pó

½ colher de chá de fermento em pó

1 colher de chá de sal

350 gramas de manteiga sem sal

350 gramas de chocolate meio amargo (60% cacau)

680 gramas de açúcar

6 ovos

3 gemas

6 latas de leite condensado

9 colheres de sopa de achocolatado

6 colheres de sopa de manteiga

Para decoração:

2 latas de leite condensado

6 colheres de sopa de achocolatado

2 colheres de sopa de manteiga

Granulado

Modo de Preparo

1. Forre com papel manteiga, unte com manteiga e polvilhe de farinha 3 formas redondas de 24 cm. Reserve. Pré-aqueça o forno a 180 graus.

2. Numa vasilha, peneire a farinha, o cacau, o fermento e o sal. Reserve.

3. Ponha a manteiga e o chocolate picado em uma vasilha grande. Pouse a vasilha em cima de uma panela com 3 dedos de água. Derreta o chocolate e a manteiga em banho-maria, misturando de vez em quando. Retire do fogo e reserve 5 a 10 minutos.

4. Adicione então o açúcar e misture bem com uma espátula. Junte os ovos, um por um, e as gemas. Quando estiver homogêneo, junte os secos (farinha, cacau etc) em 3 vezes, misturando com cuidado para ter certeza que os secos estão bem incorporados ao chocolate.

5. Entorne nas 3 formas preparadas e leve ao forno por 35 minutos ou até o brownie estiver soltando das laterais da forma e o centro do brownie estiver firme mas ainda úmido. Retire do forno e deixe esfriar totalmente numa grelha.

6. Para o recheio de brigadeiro branco, ponha 3 latas de leite condensado numa panela junto com 3 colheres de sopa de manteiga. Cozinhe em fogo bem baixo até soltar do fundo da panela. Atenção para não cozinhar demais; queremos o recheio bem cremoso. Retire do fogo e reserve com a panela tampada.

7. Em outra panela, faça o  brigadeiro de chocolate com 3 latas de leite condensado, 3 colheres de sopa de manteiga e 9 colheres de achocolatado. Cozinhe até soltar do fundo da panela, mas de novo, não cozinhe demais. Para o recheio, o brigadeiro tem que ficar mais cremoso do que o ponto para ‘enrolar’. Reserve com a panela tampada.

8. Ponha uma camada do brownie no prato de servir. Entorne uma parte do brigadeiro branco em cima. Ponha bastante brigadeiro: tipo 2/3 da quantidade total! A ideia é que ele entorne um pouco do bolo. Ponha outra camada de brownie por cima e recheie com o brigadeiro preto. Termine coma última camada de brownie e espelhe por cima o resto dos 2 tipos de brigadeiros, deixando entornar um pouco nas laterais.

9. Se voce quiser enfeitar com brigadeiros como na foto, use 2 latas de leite condensado, 6 colheres de achocolatado e 2 colheres de manteiga para fazer um brigadeiro para enrolar. Passe no granulado e enfeite o bolo. Eu usei 27 brigadeiros para cobrir o bolo.

Próxima página »