simplesmente delícia

1 de julho de 2013

  • Eu virei a casaca. Sim, é verdade. Depois de tantos anos fazendo juras de amor a minha granola preferida, mudei de time.
  • Tudo começou em Nova Iorque, onde mora uma amiga muito querida. Essa amiga é daquele tipo de amiga que manda foto de um cardápio bacana de um restaurante novo, ou me fala de um lugar incrível aonde se faz um doce delicioso, ou tira uma foto de um prato lindo que a fez lembrar-se de mim, ou atiça meu paladar me mandando mensagem pelo Whatsapp de dentro do Momofuku falando de um prato com tomates que ela não sabe nem começar a descrever mas era maravilhoso.  Resumindo: é o melhor tipo de amiga! E foi ela que me ligou no dia seguinte de ter ido num restaurante que está na minha lista “Precisoirdesesperadamente”, o Eleven Madison Park, para me contar que não somente o jantar estava perfeito, mas de quebra, cada pessoa ganha na saída um vidro de granola. E ela disse: essa granola redefine o que é mesmo uma granola.
  • Putz. Isso era tudo que eu precisava ouvir. Agora eu estava com dois problemas. Quero mais do que nunca ir ao Eleven Madison Park, mas também quero detalhes sobre essa granola. E bem, minha amiga é muito, muito querida, mas ela não é lá muito boa de descrições. É algo assim: ‘Tinha uma coisa laranja na granola’. Serio, ela me descreveu dessa forma. Respirei fundo, e ao mesmo tempo em que falava com ela pelo Skype, batia ferozmente no teclado do computador googlando todas as combinações possíveis de granola + Eleven Madison Park . E devo dizer que não foi muito difícil chegar a receita original já que esta apareceu inclusive no New York Times. Eu desconfio porem que a granola que eles presenteiam agora no restaurante já é outra pois na receita do NYT não há qualquer coisa laranja…
  • A receita original é uma delicia, mas praticamente inviável aqui no Brasil devido ao preço do maple syrup e a impossibilidade de se achar ‘sour cherries’, as ginjas, que alias eu adoro. Testei a receita de varias formas e a que mais chegou perto da original foi essa aqui abaixo, minha mais nova amiga de infância. Os damascos azedos talvez sejam o que mais se aproxima das ‘sour cherries’, mas para agradar o povo de casa, tenho usado passas brancas. Para substituir o maple syrup, usei mel, e reduzi o açúcar mascavo. E sim, a quantidade de sal está correta.
  • ingredientes

  • 2 3/4 copos de aveia em flocos grossos (280 gramas)
  • 1 copo de castanhas do Pará (140 gramas)
  • 1 copo de flocos grossos de coco (100 gramas)
  • 1/3 copo de sementes de girassol (50 gramas)
  • 1/3 copo de azeite de oliva extra-virgem (70 ml)
  • 1/3 copo de mel (100 ml)
  • ¼ copo de açúcar mascavo (50 gramas)
  • ¾ colher de sopa de sal
  • ¾ copo de passas (ou damascos picados, ou cranberries)
  • modo de preparo

  • 1.       Pré-aqueça o forno a 160 graus. Atenção à temperatura do forno pois a granola pode queimar se o forno estiver quente demais. Procure manter abaixo de 180 graus.  Forre uma assadeira grande com papel manteiga e reserve-a.
  • 2.       Numa vasilha grande, misture a aveia, as castanhas, o coco e as sementes de girassol. Reserve. Numa panela pequena, ponha o azeite, o mel, o açúcar mascavo e o sal. Leve ao fogo médio até o açúcar dissolver no liquido. Entorne a calda na vasilha com os ingredientes secos e misture bem com uma espátula. Faça isso com carinho para todos os ingredientes estarem bem envoltos com a calda.
  • 3.       Espalhe os ingredientes na assadeira preparada com o papel manteiga e leve ao forno quente por 35/40 minutos, misturando a granola uma ou duas vezes ao longo do tempo. Cuidado para não deixar a granola queimar!
  • 4.       Retire do forno e deixe granola esfriar. Adicione as passas (ou damascos, ou cranberries).
Outra Boa Ideia: Croissants de Amendoas

    27 de junho de 2013

    • Tem dias em que um iogurte desnatado com granola simplesmente não é o suficiente. E recentemente eu tive um dia desses. Ou talvez dois ou três dias. Enfim, não teve jeito. Tentei enganar o desejo desse pãozinho com alguma fatia triste de pão light (que jeito né, uma perpetua dieta) com cottage, mas incrivelmente, não deu certo. Sim, essa sou eu sendo irônica.
    • Então o jeito foi atacar essa receita com vontade. Você pode começar a massa de véspera se quiser servi-los pela manhã, e deixar para enrolar os pães no dia seguinte.
    • Nota: use uma boa farinha de pão aqui, com alto teor de glúten. Algumas boas opções aqui no Brasil são a Farinha de Trigo Premium da Fleischmann e a Farinha de Trigo Dona Benta Reserva Especial.
    • Receita adaptada do Leite’s Culinaria
    • Essa receita faz 24 pães pequenos
    • ingredientes

    • massa:
    • 280 ml de leite morno (a 40 graus aproximadamente)
    • 2 colheres de chá de fermento seco instantâneo
    • 6 colheres de sopa de açúcar
    • 5 a 5 ½ copos de farinha de trigo para pão (ver nota) (700 a 770 gramas)
    • 1 ½ colher de chá de sal
    • 6 colheres de sopa de manteiga sem sal, derretida (80 gramas)
    • 3 ovos grandes
    • Calda:
    • ¾ copo de mel
    • 150 gramas de manteiga sem sal a temperatura ambiente
    • Para o açúcar:
    • 1 copo de açúcar
    • 1 colher de sopa de canela
    • Para o creme:
    • 100 gramas de cream cheese (tipo Philadelphia) a temperatura ambiente
    • 2 colheres de sopa de manteiga sem sal a temperatura ambiente
    • 300 gramas de açúcar de confeiteiro
    • 50 ml de creme de leite fresco
    • 1 colher de chá de aroma de baunilha

      modo de preparo

    • 1.       Na vasilha da batedeira, ponha o leite morno, o fermento e o açúcar. Deixe repousar cinco minutos. Adicione então a farinha de trigo (ponha 5 copos e acrescente mais ½ copo se necessário), o sal, a manteiga derretida, e os ovos. Usando o ‘gancho’ da batedeira bata por 8 a 10 minutos. A massa tem que estar solta das laterais da vasilha, e o fundo da vasilha deve ficar limpo. Pare a batedeira, cubra a vasilha com filme plástico e deixe a massa crescer até dobrar de tamanho. Isso pode ser feito de véspera se voce quiser assar os pães pela manhã.
    • 2.       Numa pequena vasilha, misture o mel com a manteiga e reserve. Em outra vasilha misture o açúcar com a canela e reserve.  Forre um tabuleiro de 36 x 24 cm com papel manteiga e reserve.  Pré-aqueça o forno a 180 graus.
    • 3.       Polvilhe uma superfície grande com um pouco de farinha de trigo. Ponha nela a massa e abra-a em um retângulo de 60 x 46 cm. Faça isso com cuidado, aos poucos, para a massa não rasgar. Quando você chegar ao tamanho aproximado, pincele metade da calda de manteiga e mel. Polvilhe com o açúcar de canela (eu usei a metade do açúcar aqui no recheio).
    • 4.       Começando pelo maior lado (o de 60 cm), enrole a massa como um rocambole, apertando ligeiramente com os dedos (isso é importante para, na hora de assar, os  pães não abrirem demasiado, como alguns das fotos que acompanham esse post). Com uma faca de serra, corte a massa na metade, e divida cada metade ao meio. Parta então rodelas de 3 cm de largura aproximadamente.
    • 5.       Ponha as rodas de massa na assadeira preparada com papel manteiga, com a parte cortada para cima. Polvilhe com um pouco do açúcar com canela. Cubra a assadeira com filme plástico ou com um pano e deixe a massa crescer por 20 a 30 minutos. Leve então ao forno por 20/25 minutos ou até os pães estarem dourados.
    • 6.       Retire do forno e pincele imediatamente os pães com o restante da calda. Deixe esfriar totalmente.  Enquanto isso, prepare o creme. Ponha todos os ingredientes numa vasilha e mexa bem. Você também pode fazer isso na batedeira.  Se o creme estiver muito liquido adicione mais açúcar; e inversamente, se você achar muito seco, pingue um pouco de creme de leite nele.
    • 7.       Quando os pães estiverem à temperatura ambiente, usando uma faca de ponta redonda, passe o creme nos pães. Deixe secar um pouco e retire-os da assadeira. Sirva imediatamente ou reaqueça-os em forno baixo (160 graus) por 2 ou 3 minutos.
    Outra Boa Idéia: Babbka de Chocolate e Nozes

      16 de junho de 2013

      • Existem tantas ‘receitas’ de limão preservado quanto de príncipes encantados em romances de aeroporto. Sabe aqueles romances que tem na capa um rapaz invariavelmente lindo, com uma donzela ainda mais bonita, abraçados e/ou se beijando, com cabelos ao vento e algum tipo de paisagem encantadora? Esses mesmos. Pois é, são muitas versões de limão preservado. E depois de muita pesquisa e pelo menos uma grande bobagem (usei sal grosso no primeiro pote que fiz, e bem, ficaram incomíveis), cheguei aonde eu queria. Ao contrario da maioria das formas de preparo, eu acrescentei uma colher de açúcar para cada copo de sal. Não, eu não inventei moda: segui o conselho do chef Eric Ripert do excelente Le Bernardin, em Nova Iorque.

      • Na minha ultima aventura preservando limões, fiz dois potes: um com especiarias (canela, pimenta em grãos, louro) e um natural, e devo dizer que uso o limão preservado natural mais frequentemente. Gosto do deu perfume límpido e claro, sem outras interferências. Como o tempo de espera é longo, na duvida sugiro você fazer dois potes menores, um natural e outro com especiarias, para testar as diferenças.

      • Eu já li em vários lugares que dá para fazer esses limões preservados com os nossos limões verdes, tipo Taiti, mas pessoalmente eu prefiro a sutileza do limão siciliano aqui; acho que o limão verde é um pouco adstringente e duro na boca demais para esse proposito. Mas se você usar os limões verdes, não deixe de escrever um comentário aqui contando como ficaram.
      • Os limões preservados no sal ficam bem com pratos tão diferentes quanto peixe grelhado (misture o limão bem picado com uma boa manteiga e passe em cima do peixe já grelhado: excelente!) ou feijões. Carnes brancas e saladas também ficam mais ricas e perfumadas com alguns pedacinhos de limão preservado.  Na duvida, use os limões preservados como você usaria azeitonas por exemplo, sempre bem picado pois são fortes e muito perfumados.
      • Aliás, os limões ficam uma delicia servidos misturados às azeitonas (compre boas azeitonas!) temperadas, para aperitivo.
      • Os limões preservados não são para os que gostam de coisas rápidas e imediatas. Mas são fáceis de preparar e depois de 3 semanas (no mínimo), você terá um coringa na cozinha. Pedacinhos de limão preservado vão enriquecer vários tipos de prato e como diz uma leitora do blog, temos a enorme vantagem de poder falar casualmente no meio de uma conversa com amigos que fazemos uma deliciosa salada de massa simplíssima (é a palavra chave aqui!) , com limões preservados…

        ingredientes

      • 1 copo de sal
      • 1 colher de sopa de açúcar
      • 7 a 10 limões sicilianos, dependendo do tamanho do pote
      • Pau de canela, folha de louro, pimenta em grãos, coentro em grãos, alecrim, etc. (opcional)
      • 1 pote de vidro com tampa (ou dois potes pequenos)
      • modo de preparo

      • 1.       Numa vasilha misture o sal e o açúcar. Lave bem o pote e seque-o.
      • 2.       Lave bem os limões e seque-os. Para a forma mais clássica, parta os limões em X na sua altura, sem cortar até o fim - as quatro partes ficam presas pela ponta. Mas na realidade não muda nada se você cortar os limões até o final e salga-los dessa forma (ver foto). A única diferença é que provavelmente desse jeito você vai poder por mais limões no pote.
      • 3.       Se os limões estiverem cortados em quatro na sua altura mas seguros pela ponta, ponha no meio do limão partido uma boa colherada (colher de sopa) da mistura de sal e açúcar. Ponha o limão recheado de sal no fundo do pote e aperte ligeiramente para liberar os sucos. Vá fazendo isso com todos os limões, apertando sempre. Procure apertar sem quebrar a casca do limão. Se você partiu os limões inteiramente, é só colocar os pedaços na vasilha com sal, misturar bem e depois ir arrumando no pote.
      • 4.       Se você for usar os temperos, vá encaixando-os nas paredes do pote à medida que for pondo os limões salgados.
      • 5.       Quando chegar ao topo do pote, verifique que os limões estão bem apertados e o pote está cheio de suco de limão.  Se os limões não estiverem cobertos do seu próprio suco, acrescente mais suco de limão de outras frutas. Eu descobri que invariavelmente tenho que espremer mais limões no pote. Atenção para o suco cobrir bem os limões na parte de cima. Tampe e leve a geladeira por pelo menos 3 semanas.
      • 6.       Após as três semanas, ou quando for usar depois disso, retire um limão, passe na agua para tirar o excesso de sal, retire e descarte a polpa. Corte a casca em pedaços pequenos e use conforme sua receita. Os limões preservados no sal guardam por pelo menos 6 meses na geladeira.
      Outra Boa Idéia: Massa com Molho Cremoso de Limão Siciliano

      7 de junho de 2013

      • A questão da felicidade tem preocupado poetas, filósofos e companhias de produtos farmacêuticos há milhares de anos. Obviamente, é uma questão complexa e subjetiva. Mas aqui entre nós, algumas coisas objetivas ajudam. Um lindo pôr do sol e beijo na boca são algumas dessas coisas. Chocolate e caramelo são outras.  E algumas coisas deixam agente satisfeito o suficiente para chegarmos perto desse elusivo estado de felicidade. Aí entra o alfajor, pelo menos para mim.
      • Mas eu sei que alfajores são como coentro: ou se ama, ou se odeia. Bem talvez no caso dos alfajores ninguém realmente os odeie mas certamente eles não vão mover montanhas por eles.
      • Eu adoro.
      • Eu já havia brincado com algumas receitas de alfajores, há alguns anos atrás, e por algum motivo acabei não publicando aqui. Recentemente, por algum outro motivo que também não sei explicar, resolvi voltar à busca de uma boa receita de alfajores. Veja bem, esses não são os alfajores industriais - que eu também gosto. São a versão caseira de um doce clássico da América da Sul (existem na Espanha também mas são bem diferentes). Então não me venham reclamar que esse alfajor é diferente do Havana ou qualquer outra versão de loja. É diferente sim. Mas é igualmente delicioso, muito mais saudável, e altamente viciante.

      • Essa receita dão 69 biscoitos de 5 cm, ou 34 alfajores

        ingredientes

      • 200 gramas de farinha de trigo
      • 300 gramas de Maizena
      • 2 colheres de chá de fermento em pó
      • 200 gramas de manteiga sem sal, a temperatura ambiente
      • 150 gramas de açúcar
      • 3 gemas de ovo
      • 1 colher de sopa de Conhaque (opcional)
      • Raspas de 1 limão
      • 1 colher de chá de extrato de baunilha (ou aroma)
      • Doce de leite
      • Coco ralado (eu usei o coco não acrescido de açúcar mas o outro serve também)
      • modo de preparo

      • 1.       Numa vasilha peneire a farinha, a Maizena e o fermento em pó. Reserve.  Na vasilha da batedeira, ponha a manteiga e o açúcar. Bata (com a pá da batedeira) em velocidade media/alta até formar um creme bem fofo. Adicione então as gemas, uma por uma, e bata por mais uns 3 ou 4 minutos. Junte o Conhaque, as raspas de limão e a baunilha e bata até homogeneizar.
      • 2.       Diminua a velocidade da batedeira e acrescente os secos (farinha, Maisena, fermento). Bata somente até os secos sumirem na massa. Se necessário, pare a batedeira e acabe de incorpora-los com uma espátula. Forme um disco, envolva com filme plástico e leve a geladeira por pelo menos uma hora.
      • 3.       Pré-aqueça o forno a 180 graus e forre dois tabuleiros com papel manteiga (eu usei um Silpat). Retire o disco de massa da geladeira. Polvilhe uma superfície com um pouco de farinha. divida a massa em 2 ou 3 pedaços para facilitar seu manuseio. Com um rolo, abra um pedaço de cada vez até uma espessura de 0,5 cm. Use então um cortador redondo de 5 cm para cortar os biscoitos.  Quando houver cortado toda a massa, junte os restos de massa, abra de novo e corte o restante dos biscoitos. À medida que for cortando os biscoitos, arrume no tabuleiro preparado, espaçando-os de 1 ou 2 cm pois eles crescem um pouco no forno.
      • 4.       Leve o tabuleiro ao forno pré-aquecido por 10 a 12 minutos. O biscoito fica assado porem ele não doura por cima, só na parte debaixo, em contato com o papel manteiga. Retire do forno e deixe esfriar totalmente.
      • 5.       Usando uma pequena colher ou uma faca de ponta redonda, ponha um pouco de doce de leite em um biscoito, e cubra-o com outro biscoito, fazendo um sanduiche. Passe doce de leite nas laterais do alfajor e passe essa parte no coco ralado. Faça isso com todos os biscoitos. Guarde em vasilha fechada.
      Outra Boa Idéia: Moon Pies, Biscoitos Recheados de Marshmallow

      29 de maio de 2013

      • Eu me lembro de ter lido sobre brócolis assado anos atrás, mas por razoes que eu não saberia explicar, me levou esses tantos anos para experimentar a receita. E devo dizer que foram anos perdidos, desprovidos de tanto prazer. Assar os brócolis me fez sentir como uma criança que aprendeu errado as cores, e descobre que amarelo é na verdade azul e que vermelho é verde. É tão gostoso, tão simples que vai ser difícil dos filhos e eu comermos brócolis de outra forma por um bom tempo.
      • O filho não gosta de acidez na comida e relutou com o limão nos brócolis. A filha e eu adoramos. O queijo traz um picante divertido, mas omita-os se assim preferir. O importante aqui é a técnica, a forma de cozinhar os brócolis. O azeite ajuda a carameliza-lo e ele fica ainda crocante ou levemente al dente. Perfeito.
      • As medidas estão a seguir, mas eu fiz no olho mesmo. A receita original também leva manjericão picado e alguma noz picada. Eu tenho certeza que o manjericão pelo menos, deve ficar uma delicia.
      • Serve 4 pessoas
      • ingredientes

      • 3 molhos de brócolis
      • 5 colheres de sopa de azeite
      • 2 pitadas boas de sal
      • Pimenta do reino
      • 3 dentes de alho
      • 1 limão (suco e raspas)
      • 1/3 copo de queijo parmesão ralado
      • modo de preparo

      • 1.       Pré-aqueça o forno a 220 graus. Forre uma assadeira grande com papel manteiga.
      • 2.       Limpe os brócolis, tirando as folhas grandes e os talos maiores. Se os brócolis estiverem molhados, seque-o bem. Ponha as flores numa vasilha grande. Regue com o azeite, e tempere com o sal e a pimenta do reino. Pique o alho e junte aos brócolis. Misture bem e ponha tudo na assadeira, sem empilha-los demais, para que as flores possam caramelizar nas pontas. Asse por 20/25 minutos.
      • 3.       Retire a assadeira do forno, regue com o suco de um limão, salpique as raspas do limão e o queijo ralado. Sirva imediatamente.

      Outra Boa Idéia: Torta de Brócolis e Gorgonzola

      « Página anterior - Próxima página »