simplesmente delícia

25 de janeiro de 2009

O livro de Sheila M. Hue, Delícias do Descobrimento, da Editora ZAHAR,  enfoca a historia do Brasil pelo viés da culinária, utilizando-se dos textos de missionários, senhores de engenho, aventureiros e viajantes para fazer uma leitura da gastronomia brasileira do século XVI.

Alem de se entender, por exemplo, como nossas mangas, jacas e bananas vieram de fato de outros horizontes, ou como os coqueiros das praias do Nordeste são de fato provenientes de outras “praias” (a origem exata é controvérsia mas é muito provavelmente do sudeste asiático), vemos também que nossas exportações foram inúmeras, como por exemplo o mamão. Este, que muitos creditam ter vindo de outros continentes, é de fato nativo da America, levado pelos Portugueses para a África e para a Índia, de onde se espalhou para o Oriente tornando-se praticamente nativo e ingrediente básico da culinária local.

A mandioca, personagem épico da alimentação brasileira, mereceria praticamente um capitulo a parte. A autora se esmera em não somente explicar a historia por traz do seu cultivo (há 5000 anos foi domesticada pelos índios) mas também explica como foi imediatamente exportada e já em 1575 era o principal alimento de Angola. Os navegadores e viajantes também se deliciavam com nossa mandioca: o inglês Richard Hawkins que por aqui passou em 1593 conta em manuscritos como sua frota se alimentou de beijus e farinha de mandioca durante a viagem marítima para o estreito de Magalhães depois de ter se abastecido nas costas brasileiras. O petisco favorito era beiju frito na banha de porco e salpicado com canela! E foi o aporte europeu do açúcar (que os índios tinham aversão) junto com as farinhas brasileiras nativas, que deu origem as primeiras sobremesas como bolo de aipim feito com a carimã (a mais fina farinha de mandioca).

O livro é um mundo de curiosidades: que delicia entender que o maracujá que eu adoro, detém seu nome fruit-de-la-passion em Frances, passion fruit em inglês , de missionários europeus que viram uma simbologia da paixão de Cristo. O coroa floral representava a coroa d espinhos, os 3 estigmas da flor simbolizavam os 3 cravos que prenderam Cristo na cruz, e as 5 antenas florais, as 5 chagas de Cristo; as gavinhas eram os chicotes com que o açoitaram e o fruto redondo representava o mundo que o Cristo veio salvar.  

Coisas mais “sérias” são também discutidas mas o mais importante para mim foi entender como as trocas se davam entre os continentes nos séculos seguindo o descobrimento das Américas, e como a vida culinária evoluiu no Brasil. Do paladar dos índios , passando pela introdução aqui das especiarias como o gengibre e o açúcar, ate a importância do pão (provavelmente vinda da fundamental importância da mandioca) na culinária do Brasil. Um livro para guardar e estudar sempre.

         Farinhas de mandioca no Mercado Ver-O-Peso emBelem do Para

 

6 comentários

  1. Gina disse

    27 jan 2009, 10:30 pm

    Flávia, gosto muito de colocar curiosidades sobre os pratos e ingredientes no blog. Num dos meus primeiros posts, falei da história do maracujá e a relação com a paixão de Cristo. Muito legal isso. Boa sugestão de leitura, parabéns!
    Bjs

  2. Fabi disse

    28 jan 2009, 1:08 pm

    Olá, Flávia! Conheci seu blog somente agora graças à Panacotta de Doce de Leite que está no 4 Ragazze… Achei a idéia incrível e acabei conhecendo suas ótimas receitas! Parabéns! Bjos!

  3. Canela disse

    31 jan 2009, 8:40 pm

    Olá Flávia
    Ainda bem que estás de volta.
    Esse livro deve ser muito interessante.é engraçado como a mandioca passados tantos anos ainda é tão consumida em Angola…
    Beijo e bom domingo

  4. Moira disse

    13 fev 2009, 7:57 pm

    Esse livro deve ser bem interessante. Vou ver se encontro por cá.
    Bjs
    Moira

  5. Paulo Anijar disse

    17 nov 2009, 12:20 pm

    Gostei muito do seu blog….já adicionei nos meus favoritos!
    Moro em Belém e fico feliz por você apreciar a nossa farinha, que pra mim eh uma das melhores do Brasil !!!
    Abraços…

  6. flaviapantoja disse

    17 nov 2009, 3:03 pm

    Faz um ano que fiz essa viagem maravilhosa e ja estou com saudades!! Sonho com o sorvete de castanha do pará da minha querida Cairu. Quando tiver um tempinho leia o post  que fiz:

    http://www.simplesmentedelicia.com/?p=348

    um abraco

    Flavia

     

Trackback URI | RSS de Comentários

comente!

Mensagem