simplesmente delícia

9 de outubro de 2012

  • A minha vida divide-se entre antes e depois de conhecer o Ottolenghi.  Bem talvez a minha vida culinária. Mas é verdade. Olho para trás e me sinto como uma criança que aprendeu errado as cores e, depois que conhece o Ottoleghi (livros e restaurantes), descobre que o vermelho é de fato amarelo, e o verde é azul.  Meu amor platônico pela sua ideologia de comida, pela mistura de sabores e perfumes, pelos livros impecáveis, pelos restaurantes deliciosos (e tragicamente localizados na longínqua Londres) é tão grande que só a noticia de um livro novo já me faz feliz. E logico, no dia que dito livro chegou, eu mais parecia uma criança com um brinquedo novo, do tipo daqueles brinquedos que de fato estava na lista do papai Noel, e não aqueles brinquedos que uma madrinha desavisada dá para a coitada da criança…
  • O livro Jerusalem já esta repleto de marcações de pratos que quero fazer e ideias que quero explorar mas para começar, escolhi esse bolo , que originou-se na Alemanha mas é hoje tão típico da culinária judaica. O Babbka ou bolo Krantz é doce e macio, com a massa enriquecida por ovos e manteiga. Não é um bolo fácil de fazer pois tem que começar a massa de véspera e ter alguma habilidade manual para montar o bolo, mas o esforço é largamente compensado. Leia atentamente a receita e observe as fotos para não errar o passo-a-passo.
  • Esses bolos existem em vários sabores e você pode alterar o chocolate e nozes por açúcar mascavo, canela e nozes por exemplo. Para cada metade de massa, pincele 80 gramas de manteiga derretida na massa, polvilhe com 120 gramas de açúcar mascavo, 1 ½ colher de sopa de canela e 50 gramas de nozes picadas. Prossiga como para o Babbka de chocolate e nozes.
  • ingredientes

  • 530 gramas de farinha de trigo
  • 100 gramas de açúcar
  • 10 gramas de fermento biológico seco instantâneo
  • Raspas de um limão
  • 3 ovos grandes
  • 120 ml de agua
  • 1/3 colher de chá de sal
  • 150 gramas de manteiga sem sal a temperatura ambiente
  • Recheio
  • 130 gramas de chocolate meio amargo, derretido
  • 120 gramas de manteiga sem sal, derretida
  • 50 gramas de açúcar de confeiteiro
  • 30 gramas de cacau
  • 100 nozes picada
  • 2 colheres de sopa de açúcar
  • Xarope
  • 260 gramas de açúcar
  • 160 ml de agua
  • modo de preparo

  • 1. Ponha a farinha, o açúcar, o fermento e as raspas de limão na vasilha da batedeira.  Ponha o gancho na batedeira (o acessório mais usado para fazer pão). Misture os secos e em seguida adicione os ovos e a agua em velocidade baixa. Aumente a velocidade para media e bata por três minutos até a massa juntar. Adicione então o sal, e comece a acrescentar a manteiga picada, aos poucos, batendo até a manteiga derreter toda na massa. Continue batendo por dez minutos até a massa estar lisa , elástica e brilhosa. Você vai precisar limpar as laterais com uma espátula de vez em quando e talvez salpicar um pouquinho de farinha nas laterais da vasilha para a massa desgrudar.
  • 2. Pare a batedeira, retire a massa e ponha-a  a massa numa vasilha grande untada de óleo vegetal, cubra com filme plástico e leve a geladeira por pelo menos 12 horas, ou de um dia para o outro.
  • 3. Unte duas formas de 23 por 10 cm com óleo vegetal e forre o fundo com um pedaço também untado de óleo, de papel manteiga. Reserve. Prepare o recheio misturando o chocolate derretido à manteiga derretida. Acrescente o cacau e o açúcar de confeiteiro e misture bem para formar uma pasta. Pique as nozes se ainda não o fez .
  • 4. Tire a massa da geladeira e divida-a massa em duas partes iguais, e deixando uma das partes na geladeira , coberta com filme plástico. Numa superfície levemente untada de farinha, abra uma metade da massa em um triangulo de 38 por 28 cm. Levante a massa periodicamente enquanto estiver  abrindo-a para se assegurar que esta não grudou na superfície polvilhada de farinha. E polvilhe mais um pouco de farinha, se necessário. Mas cuidado com o excesso de farinha pois não queremos endurecer a massa (com mais farinha…). Use uma régua ou fita métrica para obter o tamanho certo. Apare a massa com uma faca para obter um retângulo correto.
  • 5. Use uma espátula ou faca de ponta redonda para espalhar a metade do creme de chocolate na massa, deixando uma borda de dois centímetros em todo redor. Salpique com metade das nozes picadas e polvilhe com uma colher de açúcar. Agora, com muito cuidado, comece a enrolar a massa no sentido do cumprimento, apertando levemente. Molhe a borda oposta a qual você está enrolando com um pouco de agua para selar o rolo de massa.  Apare as pontas do rolo com uma faca.
  • 6. Agora com cuidado, com uma faca bem afiada corte o rolo de massa na vertical. Tenha a forma preparada por perto. Junte duas pontas das metades partidas apertando ligeiramente, e com cuidado, trance a massa três vezes, levantando com cuidado cada pedaço de massa. Sempre com cuidado, levante a trança toda e ponha na forma preparada. Cubra com um pano e deixe num local a temperatura ambiente, por 1-1 ½ horas. Pré-aqueça o forno a 190ºC. Depois que a massa tiver crescido, leve as babbkas ao forno quente por 25 a 30 minutos até dourar a superfície e uma faca sair limpa de massa do centro do bolo.
  • 7. Enquanto os Babbkas assam, prepare a calda. Ponha o açúcar e a agua numa panela pequena e leve ao fogo. Assim que ferver e derreter o açúcar, desligue o fogo e deixe a calda amornar. Quando os babbkas estiverem assados retire-os do forno e imediatamente encharque-os com toda a calda. É importante usar toda a calda. Deixe os bolos amornarem na forma para absorverem bem toda a calda. Desenforme quando estiverem a temperatura ambiente. O Babbka guarda bem por dois dias, bem embrulhado. Ou congele o bolo pronto por duas semanas.
Outra Boa Idéia: Pão Toscano de Uvas

 

13 comentários

  1. Claudia disse

    09 out 2012, 5:06 pm

    Flávia,

    E ficou lindo de morrer, mais para pão do que para bolo, não?
    O Ottolenghi em tempo recorde conquistou um exército apaixonados de seguidores, ele é mesmo o máximo. Não tenho nenhum livro dele, não compro livros de cozinha nunca, mas gosto da solução dos restaurantes dele também. Mas sabe que esse Jerusalem me interessou? Quando li sobre achei o máximo, a começar pelo nome…

    Bj.

  2. flaviapantoja disse

    09 out 2012, 5:21 pm

    Oi Claudia, eu adoro todos os livros deles e esse tambem é otimo e muito especial porque junta as memorias afetivas dos dois: Ottolenghi, judeu, e o Tamimi, criado na parte muçulmana de Jerusalem. Então eles falam muito da eterna desavença entre as religioes e tambem de tudo que os une (i.e. a comida). Esse babbka é realmente um brioche doce, tanto que categorizei como pão mas no livro está como ‘yeasted cake’… BJs! Flavia

  3. grazi disse

    10 out 2012, 9:18 am

    miamm!!!!!

  4. Vanderleia disse

    10 out 2012, 9:44 am

    Oi Flavia, dei risada ao ler seu post, pois me vi nele.Quando compro um livro que quero muito ou um mimo para a cozinha fico parecendo criança com brinquedo novo que tanto queria.Te entendi perfeitamente.
    Meu marido e meu filho me olham com olhar de quem diz “tá louca”, rsrs.Este pão ficou lindo por dimais e deve ter ficado com um sabor todo especial.Arrasou querida.Beijos e um dia lindo pra você.

  5. Verena disse

    10 out 2012, 2:30 pm

    Flavia,
    você tem um olho especial para escolher as receitas que posta e me identifico muito com seu gosto! Essa Babka ficou divina…menina, que lindeza! Vou testar com certeza! Ainda não conheci o Ottolenghi, nem os restaurantes ou livros…acho que estou perdendo tempo!
    Um beijo e parabéns! Lindos demais!

  6. Cristina Lunardeli disse

    10 out 2012, 11:26 pm

    Maravilhoso, eu já tinha visto na versão açúcar e canela…ambos me parecem divinos!

  7. Claudia Guimarães Simoni disse

    11 out 2012, 7:28 am

    Flávia,
    Não sei dizer o que está mais gostoso: o post, o bolo/pão, a dica do livro, hummm. Sei que vc está mais uma vez de parabéns, como sempre
    uma beijoca
    Cláudia

  8. Almira Almeida disse

    12 out 2012, 10:16 pm

    Flávia,Parabéns pelo blog!gosto de cozinhar e inventar na cozinha e fico horas pesquisando receitas e novidades. Aproveito pra convidá-la a visitar o Livro e arte. Abraços,

  9. Helena disse

    21 out 2012, 10:04 am

    Flávia
    Tambem sou fâ desse senhor, mas (ainda) não comprei o Jerusalem.Adorei esta receita, assim que conseguir ponho em pratica.
    Beijo

  10. Rose disse

    06 nov 2012, 11:08 am

    Olá Flávia!
    Foi amor a primeira vista, vi o post da receita e me apaixonei, tanto que já fiz o babbka e foi um verdadeiro sucesso! A aparência, o gosto, o aroma… enfim, mais uma vez parabéns acertou em cheio! Tanto a receita quanto a dica do livro e seu relato nos encantam, beijos.

  11. suzana disse

    14 nov 2012, 10:38 am

    Adorei a receita do sorvete feito em casa! Demais.
    Beijo

  12. Vivi disse

    27 jun 2013, 9:21 pm

    Flavia, e de chorar de vontade… que maravilhoso que ficou, vou tentar fazer aqui, vamos ver, me eforço mas !!!! beijo e adoro acompanhar seus posts

  13. suzette goldberg disse

    14 mar 2016, 1:50 pm

    vou fazer parece muito bom
    obrigada

Trackback URI | RSS de Comentários

comente!

Mensagem