simplesmente delícia

24 de julho de 2011

Lacoste, aonde o grande Marquis de Sade, cujos livros me marcaram tanto, tinha seu castelo.

ahahaha

ahahahah

  • Le Vivier, em Isle-sur-la-Sorgue, uma das minhas cidades preferidas na Provence. De cima à esquerda: Foie gras com enguia defumada e geleia de cereja; e alcachofras poivrade (um tipo especifico da Provence, colhido cedo, tenro e com bastante carne) com presunto espanhol, trufas de verão e gaspacho de amêndoas. Embaixo: o amuse bouche (preferido da filha) de ostra fresca servida com mousse de foie gras; e a sobremesa de varias brincadeiras com chocolate.  Esse restaurante nos foi tão agradável que voltamos para um repeteco quando provei pombo pela primeira vez (não como muita carne mas gosto de provar tudo). Era noite e as fotos não fazem jus aos pratos mas o dito ‘Pithivier’ de pombo com cèpes e foie gras’, especialidade da casa, foi uma grata surpresa. E a torta de pistache com granité de framboesas e mousse de manjericão. Não, melhor não falar dela pois não quero nem pensar no que a filha é capaz de fazer para por suas mãozinhas de novo nessa sobremesa…

ohohoh

ohohoho

ahahahahahah

ahahaha

  • Arles, na fronteira entre a Provence e a Camargue, é uma das minhas cidades preferidas. Durante o Império Romano, Arles era uma das residências do Imperador e as ruinas, bem preservadas, abundam. Acho que em outra encarnação fui antropóloga ou arqueóloga, pois nada me deixa mais feliz do que visitar o anfiteatro ou as galerias subterrâneas datadas de antes de Jesus Cristo. Da época cristã da cidade, uma das coisas mais lindas são a Igreja e os claustros de Saint-Trophime. Os claustros em particular, construídos em duas etapas (XII século e XIV século), são considerados uma obra-prima de arquitetura pelo equilíbrio nas esculturas decorativas.
ahahah
ahahaha

  • Le Phébus, perto de Gordes, onde meu coração se abriu para o Mel de Chataignier, servido com queijo de cabra. É um mel forte, com perfume acentuado das castanhas, que casa perfeitamente com a leveza e a textura do queijo de cabra.

ohoho

ohohoh

  • Chegamos a Apt no dia de mercado. Bem, um momento de confissão: os mercados da Provence estão um tantinho assoberbados pelos turistas, o que gera intensa irritação da minha parte já que, aonde quer que eu esteja, me sinto local e olho para os turistas como, bem, turistas invadindo a minha praia. Sim, isso serve para qualquer lugar do Mundo. Eu sei, eu sei que sou tão turista quanto os outros mas uso minha coroa imaginaria e me sinto ‘local’. Mas como eu não consigo passar imune por um mercado de comida e obviamente, não consigo não comprar alguma coisinha irresistível aos meus olhos, enchi a sacola (reciclável) de cebolas incríveis, mel de chataignier (o mel de castanhas, meu mais novo amigo de infância) e tomates para o almoço. Depois passamos na Catedral de Sainte-Anne, que abriga o que seriam as relíquias de Santa Ana (mãe da Virgem Maria) para agradecer mais um dia lindo nas nossas vidas.
ohoho
ohohoh

ahahah

ahahah

  • Eu tinha me esquecido de como a Abbaye de Silvacane é mesmo linda. Das três abadias cistercienses da Provence, essa é a mais antiga, o inicio de sua construção datando de 1175. Os monges cistercienses obedeciam às regras de São Bento que prega a pureza do estado monástico pelo trabalho, a reza e a pobreza. Assim apesar de não haver nenhum texto especifico sobre arquitetura, os resultados são monastérios funcionais e totalmente desprovidos de ornamentação (que poderiam distrair os monges da reza). A beleza dessas construções resulta unicamente nos seus volumes, na harmonia na organização e alinhamento das pedras, e nos jogos de luzes nas raras aberturas (janelas). As esculturas são raras e não há vitrais.

ahahah

ahahah

  • Nossa boulangerie local, em Robion,  que ainda assa os pães no forno a lenha.  E um prato com céleri-rave (aipo-rabano em português),  preferido da mãe. E claro, o indefectível Champagne rosé.

ahahah

ahahah

  • Confesso que não tinha a menor intenção de conhecer Fontaine de Vaucluse mas a irmã tanto perturbou que dessa vez cedi as pressões. O que não faço pela família. Mas o lugar é mesmo lindo. Nos pés de uma incrível falésia de 230 metros e com o Castelo do Bispo de Cavaillon ao lado (viu, irmã, mais um sinal!), essa fonte é objeto de culto desde a Antiguidade e é uma das mais importantes do mundo. Ainda parcialmente explorada até -308 metros, a fonte dá origem ao Rio Sorgue.

ahaha

ahaha

  • Baux de Provence

ahahah

ahahah

  • A “Madeleine” da minha querida irmã.
ahahah
ahahah

  • Gordes
  • ahahah
  • ahahah

 

10 comentários

  1. Luciana Betenson disse

    24 jul 2011, 7:22 pm

    Groselhas frescas :-) Provei pela primeira vez agora na Itália. Mais um post que curti muuuito ler. Beijos,

  2. Amanda disse

    25 jul 2011, 9:45 am

    Nossa, que “madeleine”! São como bolinhos? Parece tão apetitoso!

  3. Maria Guimarães disse

    25 jul 2011, 10:28 am

    Sim, sim, sim!!!!!! Cavaillon continua sendo a cidade da Provence, fora ela temos vilarejos lindos e charmosissimos! Se não fosse Cavaillon não daria para sonhar em envelhecer na Provence :-))) E minha “Madeleine” para os que gostam de suspiro hj as vezes pode ser encotrada sobre o nome de Perle Noir (o nome antigo era politicamente incorreto e ai hj cada patissier chama de um jeito). Quem sabe a maninha cozinheira de mão cheia não se anima a postar um receita pra gente?!? Meu aniverssario é em Set!!!
    Bjsss

  4. Priscyla Targino disse

    25 jul 2011, 10:44 am

    Ah que delícia! França realmente é encantadora :D

  5. Eduardo Ribeiro disse

    25 jul 2011, 12:39 pm

    Duro é ter que descer e almoçar no restaurante à quilo aqui da esquina depois de ler e ver tudo isso… :-(

    Preciso voltar à França o mais rapidamente possível!

  6. Miriam disse

    26 jul 2011, 12:18 pm

    Nossa, que delicia ver essas fotos, eu estive em Baux de provence, nossa, esse lugar eh lindo…adorei

  7. Paulo Assis disse

    26 jul 2011, 1:53 pm

    Quero ter uma cidade assim com lembranças de infância…

    Seus post é um dos melhores exemplos para invenção da internet

  8. angela infante disse

    26 jul 2011, 4:33 pm

    Flavia,parabéns, fotos lindas, texto adorável,tudo perfeito!!!

  9. adri disse

    26 jul 2011, 11:39 pm

    flavia!!!
    voce tem o talento que tantas pessoas pensam que podem algum dia adquirir…é uma artista…nos minimos detalhes nas fotos , palavras , cores…vc consegue transmitir a sua paixão naturalmente!
    porisso eu continuo sendo sua fã…ardorosa!
    valeu pelo presente
    um beijão

  10. Patrícia disse

    11 ago 2011, 10:46 am

    Incrível! Seus post sobre a viagem me fez viajar junto com você! Quanta coisa deliciosa vc provou! =)

Trackback URI | RSS de Comentários

comente!

Mensagem