simplesmente delícia

20 de julho de 2011

“Ajouter deux lettres à Paris: c’est le Paradis” - Jules Renard (1864-1919)

ohohohoho

ohohohohoh

No Parc André Citroen, aonde um pequeno balão sobe a 150 metros de altitude para uma linda e diferente vista da cidade. Outra vista que eu adoro muitas vezes menosprezada em prol a Torre Eiffel, é do topo do Arco do Triunfo.  E os eternos ‘manèges’ que pipocam pela cidade e continuam a fazer a alegria, antes dos meus filhos (mais preocupados em amarrar seus  cadeados nas grades do Pont des Arts), e agora dos sobrinhos.

ohohohohoh

ohohohohoo

ohohohohoh

Já deve ser de domínio publico que meu doce preferido é a Religieuse de café. Acho que conheço todas as boas (e péssimas) versões em Paris: dos grandes patissiers as pequenas pâtisseries de bairro, nenhum me escapa. Sou uma expert. E os mexilhões são do restaurante preferido dos filhos, o Léon de Bruxelles. Assim como para mim Paris é inconcebível sem Religieuse au café, para eles Paris tem que ter Léon e seus mexilhões.

ohohohohho

ohohohohoh

ohohohohho

Berthillon, uma lenda, que justifica o passeio na Ile Saint-Louis por uma noite quente de verão.

ohohohoh

ohohohoho

ohohohoho

ohohoh

ohohoh

ohoh

ohohjo

  • A Patisserie des Rêves, onde o Philippe Conticini faz uma linda re-leitura dos grandes clássicos franceses, incluindo o melhor Paris-Brest. Seguindo ordens precisas da atendente da loja, tive que esperar dez minutos antes de degustar meu Paris-Brest para ele ficar na temperatura perfeita o que significou ficar perambulando com meu triangulo pink pelas ruas.
  • ohoh
  • ohoho
  • ohoh

Place des Vosges, minha praça favorita, aonde se encontra um dos restaurantes preferidos do meu pai, o Ma Bourgogne, e algumas surpresas debaixo das arcadas, como o lindo Hotel de Sully.

ohoho

ohoho

ohoho

Tarte Infiniment Vanille, do grande Pierre Hermé. Um ‘tour de force’ em contrastes e texturas, usando três tipos de baunilha diferentes (Madagascar, Tahiti, e Mexico). Um pedacinho do paraíso e meu mais recente grande amor.

ohoho

ohoho

ohoho

Os dias de domingo podem ser tristes em Paris mas no Marais, as padarias e lojas de comida judaicas abrem com força total após o fechamento de praxe para o Shabbat.

ohoh

ohoh

ohoh

Le Musée Rodin

ohoho

ohoho

ohoho

E terminando a semana com um jantar delicioso na casa dos primos aonde os melhores melões da estação perfumavam toda a casa e os queijos incríveis incluíam um delicioso Brie de Melun, (que prefiro ao mais conhecido Brie de Meaux), e um Saint Felicien perfeito. No dia seguinte era hora de rumar a Aix-les-Bains, minha cidade natal e lugar aonde vivi alguns dos momentos mais felizes da minha infância.

 

16 comentários

  1. Liv Baum disse

    20 jul 2011, 9:18 am

    Flávia, morri! To babando no texto, nas fotos nessa tábua de queijo perfeita com figos! AMEI! Parabéns. Esperando a parte 2! =)

  2. Luciana Betenson disse

    20 jul 2011, 9:21 am

    Flá, não tenho palavras, simplesmnte AMEI este post! Bjs

  3. Marina Maria disse

    20 jul 2011, 9:39 am

    Que delícia de viagem, Flávia. Esta noite sonhei que estava em Paris e quando acordei, dei que cara com o seu post. Quando estive por lá fazendo um mochilão, o dinheiro era curto, não deu para aproveitar tanto a gastronomia da cidade, e naquela época eu não era tão ligada nisso. Mas o bom é que eu Paris qualquer “pão com queijo” já é delicioso…rs.

    Eu não sabia que você era francesa! Que legal. Quando estive lá, as francesas me impressionaram muito, com o jeito simples e elegante de vestir, a pouca maquiagem, os sapatos baixos. Saí de lá querendo ter essa simplicidade francesa.

    Um beijo pra você!

  4. claudio de almeida magalhães disse

    20 jul 2011, 9:46 am

    Lindas as fotos : sobretudo a que abre o ‘ desfile ‘ da Tour, no poente, do Trocadero.
    Quantos aos doces, o meu predileto seria o gaeau tout vanille ? como fazer ?
    No que toca ao ‘ salgado ‘ acompanho as crianças no Vieux Leon de Bruxelles e adicionaria na salada de mâche ( simplesmente uma delicia )…um pouco de palmito de açaizeiro !

  5. Renata Figueiredo disse

    20 jul 2011, 10:09 am

    Ai, que saudade de Paris! Senti até o gosto do sorvete de Marrom Glacê da Berthilion!

  6. Paula disse

    20 jul 2011, 10:34 am

    Flávia, que inveja! desde os meus 17 anos que não como uma “réligieuse”…

  7. Lylia disse

    20 jul 2011, 11:31 am

    Oi Flávia,
    Que postagem linda e sensivel! Você captou a essência de Paris.
    Parabéns!
    Aproveito pra desejar Feliz Dia do Amigo pra vc.
    BJ,
    Lylia

  8. Bruna do Gourmandisme disse

    20 jul 2011, 12:37 pm

    Humm seu post me deixou morrendo de vontade de fazer as malas! Lindo!

  9. claudia Guimarães Simoni disse

    20 jul 2011, 7:53 pm

    Flavia,
    Vc viu o endereço do karl Marletti na rue Censier (47) no face, estive lá e fiquei encantanda com o visual e o sabor dos doces
    http://www.carlmartelli.com
    beijos,
    Claudiagsimoni

  10. Alexandre disse

    20 jul 2011, 9:25 pm

    Eu só vim comentar que fiz suas receitas de biscoitos de amêndoas e fondant de chocolate, mas me deparei com este post. Subi até a lua e voltei. Realmente é meia-noite em Paris!

    Os biscoitos ficaram ótimos, bem melhores que eu esperava. O fondant também, só que eu deixei um tempinho a mais no forno e as bordas dele ficaram um pouco “bolo” demais para mim. Prefiro mais cremoso.

    Mas voltando ao post, as fotos estão de matar!

  11. Maria Pia disse

    21 jul 2011, 12:14 am

    Flavia, acompanhei seus posts da viagem no FB!!! Que coisas maravilhosas! Hummm!
    Sou mais doces do que salgados, mas os queijos parecem ser divinos!
    Bjos

  12. Maria Guimarães disse

    21 jul 2011, 8:46 am

    Maninha, da proxima vez acho que temos que ficar bem mais tempo pra ver se a gente enjoa…
    Quanto a meu doce predileto continua sendo o do nome que virou proibido, dificil de achar e só as criánças me entendem: um sandwich composto de duas gordas bolas de suspiro onde um creme de chocolate faz as vezes de manteiga!!!
    Beijos sem croissant nem baguette nem petit suisse pro café da manhã

  13. Isabelle disse

    21 jul 2011, 6:49 pm

    oi flavia
    brie de melun, baguette tradition et melon charentais vous attendent l’année prochaine!
    moi aussi, le gateau st genix de vovo me renvoie directement en enfance dans la petite cuisine éclairée à l’aube des matins glacés, boulevard de la roche du roi…
    bravo pour ton blog, et pour la ballade parisienne
    saudade

  14. Daniela Kodaira disse

    22 jul 2011, 4:35 am

    Coucou Flavia,
    que delicias de posts… é tão suave o jeito que vc nos mostra a França, deu pra sentir o gostinho de baunilha no doce que vc mostrou… é bem diferente o olhar de um turista e de alguém que ja viveu em uma cidade. Amei ter a sua visão das coisas! e agora vc me convenceu à experimentar uma religieuse, depois de 8 anos morando aqui, confesso que nunca tive muito interesse nesse doce, mas agora, vou provar! depois te conto! Beijos, Dani
    ps- vc ainda esta por aqui?

  15. sabrina disse

    17 abr 2012, 4:30 pm

    Olá! Fiquei curiosa, qual e’ seu religieuse favorito? Estou indo em julho para Paris e quero provar! Obrigada!

  16. flaviapantoja disse

    17 abr 2012, 7:47 pm

    Sabrina, voce está perguntando em termos de Patisseries, ou meu sabor preferido? Tem algumas boas patisseries, entre elas a do Conticini (ver blog) e uma na Rue de Passy, A Yves Desgranges. O meu sabor preferido de Religieuse é a de café. A Pain de Sucre tambem é uma delicia (rue de Rambuteau). E a imperdivel Pierre Hermé. Um beijo e boa viagem! Flavia

Trackback URI | RSS de Comentários

comente!

Mensagem