simplesmente delícia

Arquivo de julho de 2012

22 de julho de 2012

  • O café da manhã não é uma refeição importante para mim. Se eu tiver minha granola com iogurte ou leite, ou uma fatia de pão (light) com cottage, está tudo certo. E obviamente, meu café. Esse não pode faltar de jeito nenhum.  Alias, às vezes, basta uma xicara, grande, de café para eu me sentir uma pessoa feliz. Mas sem ela, as coisas podem rapidamente ficar perigosas para aqueles que me rodeiam.
  • xx
  • xx
  • Então ninguém mais do que eu estranhou quando, dia desses, eu acordei com vontade de bolinho de limão, daquele tipo bem perfumado, com uma calda azeda e doce. Semana passada foi meu aniversario, meus filhos estavam viajando e eu havia planejado não fazer nada mais extenuante do que rolar da cama ao meio-dia e me jogar no sofá - da sala, só para dizer que me movimentei um pouco- com um livro e um sudoku bem difícil. Ok, a verdade é que isso nunca acontece. Alias, nunca mais aconteceu depois do nascimento dos filhos: eu invariavelmente acordo cedo, mesmo tendo jurado que ia acordar tarde e ficar na cama até cansar. Mas aparentemente, alguém lá em cima resolveu que meio-dia é para mim, o meio do dia mesmo então acordei, mais uma vez, cedo - bem tal vez ‘cedo’ para os meus parâmetros mãe-de-férias-dos-filhos - e resolvi fazer os bolinhos.
xx
xx
  • Comi logo dois bolinhos, regados a muito café e felicidade. E os filhos lá de longe, avistaram as fotos no Facebook e reivindicaram bolinhos de limão de café da manhã no seu retorno.  Portanto vai rolar um repeteco essa semana.
  • xx
  • xx
  • Essa receita dá 10 bolinhos e pode ser duplicada
  • ingredientes

  • 1 copo de farinha de trigo (140 gramas)
  • ¾ colher de chá de fermento em pó
  • ½ colher de chá de sal
  • ¾ copo de açúcar (150 gramas)
  • Raspas de 1 ½ limão siciliano
  • 150 gramas de manteiga sem sal, derretida e a temperatura ambiente
  • 3 ovos (separados gemas de claras)
  • 1 colher de chá de aroma de baunilha
  • 1 ¼ copos de açúcar de confeiteiro
  • Suco de 1 ou 2 limões sicilianos
  • modo de preparo

  • 1.       Pré-aqueça o forno a 180 graus. Forre a assadeira com as forminhas de papel especiais para ‘cupcakes’ e ‘muffins’. Reserve.
  • 2.       Numa vasilha, ponha a farinha, o fermento e o sal e reserve. Numa pequena vasilha, ponha o açúcar e as raspas de limão. Com os dedos, esfregue bem as raspas no açúcar: isso vai ajudar a liberar os óleos das raspas, no açúcar.  Em seguida, na vasilha da batedeira, ponha o açúcar com as raspas, as gemas e a baunilha. Bata em velocidade media até triplicar de volume e formar um creme bem leve.
  • 3.       Em velocidade baixa junte a manteiga derretida (a temperatura ambiente) alternando com a farinha de trigo. Pare a batedeira assim que a farinha tiver sido incorporada.
  • 4.       Em outra vasilha, bata as claras em neve. Cuidado para não bater demais e ressecar as claras. Adicione as claras ao creme de ovos, em três vezes, misturando delicadamente com uma espátula. Encha as formas preparadas até 0,5 cm da borda e leve ao forno pré-aquecido por 25 a 35 minutos. Os bolinhos têm que ficar dourados e a faca sair seca do centro da massa. Retire do forno, e tire os bolinhos das formas de alumínio assim que conseguir manipulá-los. Acabe de esfria-los em cima de uma grelha.
  • 5.       Enquanto isso, numa vasilha misture o açúcar de confeiteiro com o suco de 1 limão. Acrescente mais suco até chegar à consistência desejada. Eu gosto da minha calda mais grossa. Use uma faca de ponta redonda para passar calda em cima de cada bolinho. Deixe secar antes de servi-los.

Outras Boas Idéias: Bolo de Maçãs e Limão e Bolinho de Limão e Castanha do Pará

16 de julho de 2012

  • Eu adoro atum. O fresco e a versão em lata. Eu uso tanto em saladas, quanto em sopas (daqui a alguns anos a Sopa de Batata e Atum com Curry vai ser uma verdadeira ‘Madeleine’ para meus filhos), e os filhos usam muito nos momentos em que eu decido entrar em greve e abandonar a cozinha de vez. Infelizmente esses surtos duram pouco e eu acabo voltando. Mas durante o tempo que meu protesto vinga, eles se tornam os maiores experts em pasta de atum.
  • Aqui, como em vários pratos clássico, eu acentuei os perfumes com as anchovas e as alcaparras. Eu já sei que vou ouvir inúmeras veze: ‘Eu não gosto de anchovas’ ou ‘Meu marido não come anchovas por nada nesse mundo’, ou ‘ Não posso nem ver as anchovas’. Eu vou fingir que sou muito compreensiva e fazer minha cara de paisagem clássica, e dizer que pelo menos aqui nesse prato, o gosto não é nada marcante. É mesmo uma forma de tornar os perfumes mais marcantes. Então por favor, aproveite que hoje é segunda-feira e abra seu coração: dê uma chance às anchovas - e às alcaparras também porque me parece que elas são injustamenteodiadas na mesma medida…
  • ingredientes

  • 1 lata de atum em agua
  • 4 colheres de azeite de oliva
  • 4 filés de anchova
  • Suco de ½ limão
  • Um file de atum fresco de aproximadamente 450/500 gramas
  • 3 colheres de azeite de oliva
  • 3 ou 4 colheres de sopa de alcaparras
  • Salsinha
  • 300 gramas de Spaghettini (ou outra massa)
  • modo de preparo

  • 1.       Na vasilha do processador, ponha o atum em lata, escorrido, as 4 colheres de azeite, o suco de ½ limão, e as anchovas. Triture até formar uma pasta, corrija o tempero com sal e pimenta, e reserve.
  • 2.       Numa panela grande, ponha agua salgada para ferver.  Assim que a agua ferver, ponha a massa e ligue o cronometro.
  • 3.       Enquanto a massa cozinha, corte o filé de atum em fatias de aproximadamente 1 centímetro de espessura. Tempere com sal e pimenta. Numa frigideira, esquente as 3 colheres de azeite. Ponha alguns pedaços de atum de cada vez, e doure os filés por 20 segundos de cada lado. A ideia é apenas selar os filés e não cozinha-los totalmente. Retire os filés e ponha num prato. Cubra com uma folha de papel alumínio para mantê-los aquecidos enquanto doura o resto dos filés de atum.
  • 4.       Quando a massa estiver pronta, escorra-a deixando pelo menos 2/3 de copo do liquido de cozimento dentro da panela. Leve a massa de volta a panela, com o liquido, e adicione o atum em pasta. Mexa delicadamente. Arrume num prato, e ponha as fatias de atum fresco por cima. Salpique com as alcaparras e a salsinha. Sirva imediatamente.
Outra Boa Idéia:  Sopa de Couve-Flor e Salmão

10 de julho de 2012

  • É raro haver consenso entre meus dois filhos. Quando um adora cenoura, a outra pede abobrinha.  Ela ama frutas, ele só jura por chocolate. A filha só quer saber de massa phyllo enquanto o filho explica as suas razões para preferir a massa folhada. E assim vai. É logico que existem alguns pontos em comum, como a couve-flor e a batata doce assada. E os mexilhões.  Alias qualquer fruto do mar. E nisso eu tive muita sorte pois qualquer coisa que eu sirva com frutos do mar é promessa de um sorriso. Nesse prato ainda teve alho porró que a filha ama. O filho, nem tanto, logico… Afinal não dá para agradar todo mundo num prato com três ingredientes principais…
  • O curry é uma especiaria que eu adoro e uso bastante. Eu sei que muitos por aí não são tão fãs quanto nós, mas os bons currys são um excelente coringa na cozinha: eles incrementam uma maionese, tornam um molho de salada mais interessante, fazem de uma massa um prato mais colorido e assim vai. O curry como um prato ou uma mistura de temperos especifica, é uma invenção britânica: uma representação errada dos pratos indianos com molho, muito temperados. A palavra ‘curry’ vem de kari, que significa molho, e era usada para descrever pratos indianos com molho servidos com arroz ou outras comidas. Na realidade, na Índia, as especiarias que fazem o curry variam conforme a pessoa que cozinha, conforme a região, a casta, e os costumes locais. E apesar do cozinheiro usar sempre uma mistura especifica, ela é normalmente preparada na hora, torrando as especiarias (cúrcuma, coentro, cominho, pimenta, alho, gengibre, cardamomo, noz moscada, etc.) e moendo-as.  Procure provar diferentes tipos de curry, comprar em lojas de produtos orientais, ou boas delis. Bons currys são uma delicia e merecem uma segunda chance…
  • ingredientes

  • 2 colheres de sopa de manteiga
  • 1 alho poro grande, ou 2 médios
  • 2 colheres de chá de curry (aproximadamente)
  • 1 colher de sopa de farinha de trigo
  • ¾ copo de copo de vinho branco seco
  • 1 copo de caldo de peixe, caldo de legumes ou agua
  • Sal e pimenta (tipo caiena)
  • 800 gramas de mexilhões descascados (eu usei mexilhões congelados, descongelados, mas obviamente use os frescos se estiverem ao seu alcance)
  • ¾ copo de creme de leite fresco
  • Salsa picada (opcional)
  • modo de preparo

  • 1.       Pique a parte branca do alho porró em rodelas finas. Numa frigideira grande, derreta a manteiga em fogo brando e adicione o alho poro. Refogue-o devagar até começar a ficar translucido, tomando cuidado para não queimá-lo. Quando ele estiver macio, adicione o curry, começando com 2 colheres de chá, e a farinha. Refogue por mais uns 2 a 3 minutos e adicione o vinho branco.
  • 2.       Aumente o fogo e reduz o vinho pela metade. Acrescente então o liquido (caldo ou agua). Misture bem e junte os mexilhões e qualquer liquido que tiver junto a eles. Abaixe o fogo e cozinhe por 5 a 8 minutos.
  • 3.       Cheque o tempero e adicione sal e pimenta . Verifique também o curry: se precisar de mais, ponha mais um pouco do pó numa tigela e dilua com um pouco do caldo quente antes de acrescenta-lo aos mexilhões. A quantidade certa vai depender do curry que você está usando.
  • 4.       No final, junte o creme de leite. Esquente sem deixar ferver e sirva quente com um punhado de salsa picada.

Outras Boas Idéias:  Beringelas com Molho ao Curry e Manjericão, Sopa de Lentilha com Curry e Agrião, e Salada de Repolho e Maçãs com Molho de Curry

2 de julho de 2012

  • A verdade é que não tenho absolutamente nenhuma desculpa para mais uma receita de bolo de maçãs tão perto do Bolo de Banana e Chocolate e também não tenho nenhuma historia engraçada para contar amarrada a esse bolo. Foi gula mesmo. Eu estava namorando a idéia de mais um bolo de maçãs (o ‘frio’ no Rio de Janeiro me aproxima dessa fruta…) havia dias e capitulei no supermercado sábado à tarde- sim, minha vida anda tão emocionante que o supermercado às vezes vira programa de sábado mas isso é outra historia. As maçãs estavam ali, bem na minha frente, verdes e vermelhas, lindamente polidas e brilhosas, olhando para mim, e eu só pensava em bolo. Não teve jeito.
  • Esse bolo não é muito doce e fica perfeito com café ou chá.
  • Eu estou seriamente pensando em assar esse bolo numa forma maior da próxima vez, para ter mais quantidade de massa de biscoito por cima. Um tabuleiro de 33 x 24 cm pode ser substituído aqui.
  • ingredientes

  • farofa de biscoito:
  • 100 gramas de manteiga sem sal, gelada
  • ¼ copo de açúcar (50 gramas)
  • 1 copo + 1 colher de sopa  de farinha de trigo (150 gramas)
  • 4 maçãs (eu usei 2 maçãs verdes e 2 Golden)
  • 2 ou 3 colheres de sopa de Rum (opcional)
  • 80 a 100 gramas de nozes (2/3 a 1 copo)
  • Raspas de 1 limão
  • 2 2/3 copos de farinha de trigo (380 gramas)
  • 1 colher de chá de fermento em pó
  • 2 colheres de chá de bicarbonato de sódio
  • 1 colher de chá de canela em pó
  • ½ colher de chá de sal
  • 140 ml de óleo de girassol
  • 1 copo de açúcar (200 gramas)
  • ½ colher de chá de baunilha
  • 3 ovos
  • 3 claras de ovos
  • modo de preparo

  • 1.       Para a farofa de biscoito: numa pequena vasilha, ponha a manteiga ainda gelada, bem picada, o açúcar e a farinha; amasse e misture com um garfo em movimentos rápidos, para incorporar os três ingredientes até formar uma ‘areia’ grossa. Não use as mãos para isso pois o calor das nossas mãos faz a manteiga derreter e não é o que queremos aqui. Procure não deixar nenhum pedaço grande de manteiga.  Reserve na geladeira enquanto prepara a massa do bolo.
  • 2.       Pré-aqueço o forno a 180º C. Unte uma forma redonda de tubo com bastante manteiga e polvilhe com farinha. Reserve. Descasque as maças e pique-as em cubos pequenos, de 1 cm aproximadamente.  Se for usar o Rum, misture-o as maçãs assim como as raspas de um limão. Reserve. Ponha as nozes num pequeno tabuleiro e asse-as no forno quente por 8 a 10 minutos ou até começarem a perfumar a cozinha. Cuidado para não queima-las! Pique as nozes e reserve.
  • 3. Numa outra vasilha, misture, a farinha, o fermento, o bicarbonato, o sal e a canela; reserve.
  • 4. Na vasilha da batedeira, bata o açúcar, a baunilha e o óleo. Junte os ovos inteiros um por um e bata até formar um creme liso e homogêneo. Diminua a velocidade da batedeira e junte os secos (farinha, etc.). Quando o creme estiver sem marcas de farinha, pare a batedeira e à mão, adicione as maças e as nozes.
  • 5. Numa outra vasilha, bata agora as 3 claras em neve: queremos um suspiro firme porém não seco. Usando uma espátula grande misture um pouco do suspiro à massa com as maçãs e  as nozes, com cuidado, levantando bem a massa para não perder muito volume.  Junte então o resto do suspiro e misture em movimentos rápidos. Entorne na forma preparada .
  • 6. Retire a farofa de biscoito da geladeira e espalhe-a pela superfície toda da massa, apertando bem levemente para firma-la  . Leve ao forno quente por 50 a 60 minutos. A faca tem de sair seca do centro do bolo. Deixe esfriar e passe uma faca nas laterais da forma para soltar o bolo. Vire-o num prato com muito cuidado e em seguida, desvire-o de novo para a camada de biscoito ficar por cima.
Outras Boas Idéias: Bolo de Maças e Limão , Bolo de Maçãs Carameladas e Salada de Repolho e Maçãs com Curry