simplesmente delícia

Arquivo de outubro de 2010

27 de outubro de 2010

  • Eu já havia professado por essas bandas meu amor pelo queijo coalho. E ele ficou perfeito nessa salada com abobrinhas grelhadas, outra recente obsessão; Eu realmente acho que não existe nenhum tipo de abobrinha que eu não adore, mas grelhada ela parece que mostra toda sua versatilidade. Aqui nessa salada, queremos ela ainda um pouco crocante, para contrastar com o tomate bem maduro e a textura do queijo coalho. Alias, o queijo coalho é ótimo de ser usado grelhado pois ele retém seu formato e é de facil manuseio. E você pode, claro, acrescentar outros ingredientes como cebola roxa fatiada bem fina, filhas de rúcula ou agrião, pimentões assados.
  •  
  • Serve 2 pessoas
  •  
  • ingredientes

  • 1 abobrinha média
  • 2 tomates bem maduros
  • 1 punhado de azeitonas pretas em óleo, escorridas
  • ½ copo a 1 copo de folhas de manjericão fresco
  • 1 pedaço de queijo coalho (para partir em 4 a 6 fatias)
  • 1 colher de sopa de vinagre balsâmico
  • 3 colheres de sopa de azeite de oliva extra-virgem
  • Sal e pimenta do reino
  •  
  • modo de preparo

  • 1. Numa vasilha, misture o azeite balsâmico com sal e pimenta. Misture bem e junte o azeite de oliva. mexa vigorosamente com um garfo. Corte as abobrinhas em rodelas não muito finas (1 cm de espessura), para elas não se desmancharem ao serem grelhadas. Pincele cada lado das abobrinhas com o vinagrete.
  • 2. Fatie também o queijo coalho: eu corto 3 a 4 pedaços por pessoa. Pincele um pouco do vinagrete no queijo também.
  • 3. Esquente o grill em fogo médio. Use um pedaço de papel cozinha para untar com um pouco de óleo, toda a superfície do grill. Quando o grill estiver bem quente, ponha as abobrinhas. Deixe-as grelharem bem de um lado antes de virar do outro lado. Elas tem que estar grelhadas mas ainda crocantes. Isso pode ser feito com antecedência mas deixe para grelhar o queijo coalho quando for servir a salada.
  • 4. Arrume num prato grande, as rodelas de tomates e alguma folha se for usar (rúcula, alface, etc.). Arrume as abobrinhas grelhadas por cima.
  • 5. Quando for servir, é só grelhar as fatias de queijo no grill quente, 1 a 2 Mn de cada lado, retira-las, e arrumá-las por cima dos tomates. Salpique as azeitonas escorridas e fatiadas, as folhas de manjericão, e molhe tudo com o resto do vinagrete que foi usada nas abobrinhas e no queijo coalho. Tempere com bastante pimenta do reino moída fresca e sal (eu gosto da flor de sal aqui). Sirva imediatamente.
  • Outras Boas Idéias: Salada de Rúcula com Melancia e Queijo Feta e Salada de Abacate com Pesto e Rúcula

24 de outubro de 2010

  • Eu pensei em primeiro vangloriar as qualidades praticas desse bolo, afinal ele não precisa de batedeira e suja apenas uma panela. Mas aí achei que se fizesse isso, iam achar que essa era a maior qualidade desse bolo. E como não é, vou começar falando da massa deliciosa que esse bolo tem: muito úmida, muito perfumada de cacau, mas incrivelmente não muito doce. É aquele tipo de bolo que fica ali em cima da bancada da cozinha, chamando por você, olhando para você com olhos languidos, irresistíveis. E você, como não resiste ao um olhar languido, vai lá e corta mais um pedacinho. E ainda põe, em cada pedacinho, um pouco mais daquela calda que fica ali derramada no prato. Sim, esse bolo é desse tipo: fácil, delicioso, irresistível e totalmente inocente.
  • Sirva esse bolo para um grupo de amigos e, conversando sobre a chuva e o sol, sobre como vamos revolucionar o mundo e mudar o curso das nossas vidas, deixe seus amigos se impressionarem com seus dotes culinários e acharem que você dedicou horas de seu precioso tempo na cozinha, preparando-o.
  •  
  •  
  •  
  •  
  • ingredientes

  • 200 gramas de manteiga sem sal
  • ½ copo de cacau em pó (peneirado)
  • ¾ copo de água (filtrada)
  • 2 copos de açúcar (400 gramas)
  • 2 ovos grandes
  • 1 copo de iogurte natural (250 ml)
  • 2 colheres de sopa de baunilha
  • 2 copos de farinha de trigo (280 gramas)
  • 1 colher de chá de bicarbonato de sódio
  • 1 colher de chá de canela em pó
  • 1 pitada de sal
  •  
  • 100 gramas de manteiga sem sal
  • ¼ copo de leite
  • ½ copo de cacau em pó (peneirado)
  • 2 copos de açúcar de confeiteiro (peneirado)
  • 1 colher de sopa de baunilha
  • 1 pitada de sal
  •  
  • modo de preparo

  • 1. Pre-aqueça o forno a 180º C. Unte com bastante manteiga uma forma redonda de tubo. Polvilhe com farinha e reserve.
  • 2. Numa panela grande, derreta a manteiga em fogo baixo. Assim que ela estiver derretida, acrescente o cacau e misture bem até diluir todo o pó. Acrescente então a água e misture. Cuidado para não deixar ferver. Retire a panela do fogo.
  • 3. Fora do fogo, junte o açúcar, os ovos, o iogurte e a baunilha, de uma vez. Misture bem até formar um creme homogêneo. Adicione então a farinha, o bicarbonato, a canela e o sal. Misture até todos os secos estarem incorporados a massa. Entorne na vasilha e leve imediatamente ao forno. Asse por 45 minutos ou até assim que a faca sair seca do meio do bolo.
  • 4. Retire o bolo de forno e deixe esfriar. Passe uma faca entre o bolo e as laterais para solta-lo e vire numa travessa.
  • 5. Prepare a calda: derreta a manteiga numa panelinha, a fogo baixo. Adicione o leite, o cacau e o açúcar de confeiteiro. Misture bem. Fora do fogo, acrescente o sal e a baunilha. Misture e entorne a calda ainda quente, no bolo. Entorne bem devagar, em 2 ou 3 vezes, para a calda ir aderindo à massa e formar uma crosta bem grossa.

Outras Boas idéias: Bolo de Chocolate com Calda de Caramelo e Amendoins e Meu Bolo de Chocolate Ideal: para chamar de seu

  •  

20 de outubro de 2010

  • Uma amiga querida me deu esse livro de presente comentando não somente que ela tinha adorado, mas que tinha certeza que eu ia adorar, afinal se tratava de comida e da França, dois amores meus. E ela estava certíssima: o livro é realmente muito bom. Nele Steinberger procura entender o declínio da culinária francesa através dos últimos anos passando não somente pela cozinha dos restaurantes mas também pela política, pela economia e pelos hábitos sociais. O resultado é um livro não somente interessante mas muito bem escrito, cheio de anedotas, boas estórias, e extremamente bem embasado.
  • Steinberger é um apaixonado pela França e parece que ele começa a sua investigação um pouco incrédulo com a real situação desse país notoriamente associado à excelente comida e vinhos. Ele começa percorrendo a historia, desde a chegada dos cozinheiros de Catarina de Médici, da Itália, aparentemente injustamente responsabilizados pela introdução da culinária “refinada”, passando por Carême, Escoffier, Brillat-Savarin, Bocuse até o sucesso do Mcdonalds, o Guia Michelin e o Império de Ducasse. Mas também inclui investigações profundas sobre a economia do país, o peso da burocracia francesa, a mudança nos costumes da população por exemplo.
  • Os tempos mudam, e aceitamos isso como parte da vida, mas ainda assim fica uma nostalgia de um país aonde não é mais sempre fácil e obvio encontrar boa comida e bons vinhos, e pela primeira vez na historia da culinária moderna, os principais chefs e restaurantes do mundo, não são franceses.

16 de outubro de 2010

  • Eu já falei, discursei, exaustivamente aqui sobre meu caso de amor por massas de bolo à base de óleo. Eu só não tinha pensando em juntar o azeite com as maçãs, uma fruta preferida, mas isso, claro, não escapou ao meu amor eterno, o Ottolenghi. E claro que ele acertou em cheio: o azeite dá uma profundidade e sofisticação a essa massa, incomparável.  O azeite faz os sabores amadurecerem e o bolo fica ainda melhor depois de 1 dia ou 2, se é que alguém consegue resistir tanto tempo.  
  •  
  • É claro que você pode omitir a cobertura. Nesse caso polvilhe o bolo com um pouco de açúcar de confeiteiro mas essa cobertura de cream cheese faz diferença aqui. O queijo acrescenta um leve toque adstringente que combina perfeitamente com a sofisticação da massa a base de azeite. E não, eu não particularmente gosto de cream cheese. E realmente não gosto de cheese cake e também nem adianta vir me dizer que não experimentei essa ou aquela receita “perfeita”. Cheese cake para mim é como água de coco: acho lindo, poético, natural, mas já provei todos os tipos, de todas as formas, e cheguei à conclusão que não gosto mesmo. Pronto, agora que essa questão está clara e resolvida entre nós, acordos firmados e ânimos apaziguados, passemos a outros tópicos!
  •  
  • ingredientes

  • 2/3 de copo de passas brancas (100 gramas)
  • 6 colheres de sopa de água
  • 2 copos + ¼ de copo + 1 colher de sopa de farinha de trigo (330 gramas)
  • ¾ colher de chá de fermento em pó
  • 2 colheres de chá de bicarbonato de sódio
  • 1 colher de chá de canela moída
  • ½ colher de chá de sal
  • 140 ml de azeite de oliva
  • 1 copo de açúcar (200 gramas)
  • ½ colher de chá de baunilha
  • 3 ovos
  • 3 claras de ovos
  • 4 maças (eu gosto da Fuji)
  • Raspas de 1 limão
  •  
  • 100 gramas de manteiga sem sal, a temperatura ambiente
  • 200 gramas de cream cheese, a temperatura ambiente
  • 4 colheres de sopa de açúcar de confeiteiro
  • 2 colheres de sopa de mel
  •  
  • modo de preparo

  • 1. Numa vasilha, ponha as passas e cubra com a água. Deixe hidratar por no mínimo 30 minutos. Forre um tabuleiro de 33 x 24 cm com papel manteiga, unte-o com manteiga e polvilhe de farinha. Reserve.
  • 2. Descasque as maças e pique-as em cubos pequenos, de 1 cm aproximadamente. Escorra as passas. Pre-aqueça o forno a 180°C.
  • 3. Numa outra vasilha, misture, a farinha, o fermento, o bicarbonato, o sal e a canela; reserve.
  • 4. Na vasilha da batedeira, bata o açúcar, a baunilha e o azeite. Junte os ovos inteiros um por um e bata até formar um creme liso e homogêneo. Diminua a velocidade da batedeira e junte os secos (farinha, etc.). Quando o creme estiver sem marcas de farinha, pare a batedeira e à mão, adicione as maças, as passas escorridas e as raspas de limão.
  • 5. Numa outra vasilha, bata agora as 3 claras em neve: queremos um suspiro firme porém não seco. Usando uma espátula grande misture o suspiro à massa com as maçãs, com cuidado, levantando bem a massa para não perder muito volume. Entorne na forma preparada e leve ao forno por 40/45 minutos. A faca tem de sair seca do centro do bolo.
  • 6. Deixe o bolo esfriar totalmente.
  • 7. Na vasilha da batedeira, ponha a manteiga, o açúcar e o mel. Bata em velocidade média até formar um creme liso e fofo, uns 3 minutos. Adicione o cream cheese e bata mais um pouco até o creme estar bem fofo e o cream cheese totalmente incorporado. Use uma espátula ou faca de ponta redonda para passar o creme por cima do bolo.
  • Outras Boas Idéias: Bolo de Cenouras com Abacaxi e Bolo de Frutas Frescas
  •  

7 de outubro de 2010

  • Esse biscoitinho tem essa capacidade de reunir em uma única mordida 2 coisas que eu adoro: chocolate e sal. Nesse caso, manteiga salgada e uma pitada de flor de sal. Eu adoro por sal, normalmente flor de sal, em chocolate. Acho que realça os sabores, e cria um contraste absolutamente delicioso. Quando usando em algumas sobremesas, o sal tem o potencial de criar um prato com um perfeito balanço de doce, salgado, amargo e azedo. Para entender melhor isso, pegue um pão, francês ou qualquer outro, ponha um pedaço de chocolate meio-amargo nele e leve ao forno por alguns instantes para o chocolate derreter. Retire do forno, salpique alguns grãos de flor de sal e veja outro mundo se abrir: o sabor de chocolate é potencializado pelo sal.
  • Esse biscoitinho é, claro, bem mais simples. Mas o uso da manteiga salgada aqui confere um paladar sem a sensação gordurosa que a manteiga sem sal às vezes proporciona.  Use uma ótima manteiga salgada (eu gosto da Aviação ou La Serenissima) e chocolate meio-amargo no recheio.
  • E enfim, tem a questão da paciência. Isto é, é mesmo necessária uma boa dose dela para fazer esse monte de bolinhas, pequenininhas, e depois rechiá-las. Mas faça com eu e arrume um programa bem interessante na televisão, no meu caso alguma coisa incrivelmente desconfortante sobre OVNI’ s e alienígenas e coisas tão fenomenalmente incríveis que confesso não ter nem percebido a vasilha de massa e as 100 bolinhas para fazer!

  • Essa receita faz aproximadamente 45 biscoitos recheados
  • ingredientes

  • 200 gramas de manteiga salgada, a temperatura ambiente
  • 2 gemas
  • 2 colheres de chá de baunilha
  • 2/3 copo de açúcar (65/70 gramas)
  • 2 ¼ copos de farinha de trigo
  • 1/2 colher de chá de flor de sal (opcional)
  • 115 gramas de chocolate meio-amargo (aproximadamente 2/3 copo do chocolate bem picado)
  • ½ copo de creme de leite fresco
  • 2 colheres de sopa de manteiga sem sal a temperatura ambiente
  • modo de preparo

  • 1. Pré-aqueça o forno a 180°C. Forra 1 tabuleiro grande com papel manteiga e reserve. Você vai precisar de pelo menos 2 tabuleiros.
  • 2. Numa pequena vasilha, misture as gemas e a baunilha. Reserve.
  • 3. Na vasilha da batedeira ponha a manteiga e o açúcar. Bata em velocidade media/alta até formar um creme leve, parando uma vez para limpar as laterais com uma espátula, uns 3 a 4 minutos.
  • 4. Reduza a velocidade da batedeira e Adicione as gemas. bata mais um pouco até o creme estar uniforme. Acrescente então a farinha e a flor de sal, se for usar, e bata em velocidade baixa até a massa formar uma bola. Pare então a batedeira.
  • 5. Faça bolinhas bem pequenas, de 2 cm de diâmetro, e disponha-as no tabuleiro, separadas por no mínimo 2 cm. Leve ao forno por 10 a 12 minutos ou estarem levemente douradas na borda. Retire do forno e deixe esfriar antes de rechear.
  • 6. Lembre de nunca usar um tabuleiro quente para fazer outra fornada de biscoitos. Se você não tiver 2 tabuleiros, passe o tabuleiro quente na água fria antes de por as bolinhas de massa e levá-lo novamente ao forno.
  • 7. Pique o chocolate em pedacinhos bem pequenos. Esquente o creme de leite numa panelinha e assim que começar a fervilhar, derrame no chocolate picado. Mexa com cuidado até o chocolate derreter no creme. Adicione a manteiga picada e misture com cuidado até a manteiga estar toda derretida. Leve o chocolate a geladeira até engrossar, pelo menos 30 minutos. Em seguida, use uma colherzinha para rechear os biscoitos.
  • 8. Quando os biscoitos estiverem todos recheados, ponha-os na geladeira uns 30 minutos para o creme firmar mais um pouco. Guarde em lugar bem fresco.

Outra Boa Idéia: Biscoito de Amendoas e Cerejas e Trufas de Chocolate ao Leite e Maracujá

Próxima página »