simplesmente delícia

Arquivo de março de 2010

30 de março de 2010

  • A lua está cheia, o calor está grande, o outono não dá mostras de que vai mostrar sua cara, então resolvi que para melhorar meu humor  eu ia sortear o livro que eu tanto gostei  “Pegando Fogo- Porque cozinhar nos tornou humanos”, de Richard Wrangham, editado pela ZAHAR.  Se você mora no Brasil,  e adora ganhar presentes, deixe um comentário aqui falando sobre como vai passar a Páscoa, ou o feriado. Eu vou escolher um comentário por sorteio e anuncio o ganhador do livro segunda-feira dia 05 de maio!

Segunda-feira dia 05 de Abril, 19:30: Usei o programa  do WWW.random.org para sortear o livro e quem ganhou foi o Daniel! Entrada #21 ! Daniel, me manda o teu endereço para eu te mandar o livro!!

Adorei todos os comentários! Adorei participar nem que seja virtualmente de um pedacinho da vida de vocês. Boa semana!!!

28 de março de 2010

  • Essa semana que passou viu uma novidade na minha vida internautica. Aderi ao Twitter (nome no twitter: FlaviaGPantoja) e estou aprendendo a navegar águas novas. Na realidade eu não o havia feito antes pois não me parecia algo muito interessante ficar tuítando cada coisa da minha não-muito-interessante vida. Mas virei a casaca e lá estou. Se você, como eu não tem nada de mais interessante para fazer, me encontre por lá para um papo nem tão cabeça assim!
  • Uma das coisas boas que me aconteceu nesse mundo novo foi a descoberta dessa receita de pudim de pão. Quem me conhece ha um tempo sabe do meu grande amor por caramelo e tudo que deriva desse nome.  E meu faro apuradíssimo não me falhou dessa vez. A receita é uma delicia e já tenho mil idéias em cima dela. Uma delas é usar amendoins ao invés de nozes.  Ainda não testei mas não tem como dar errado, é uma daquelas coisas na vida que é uma certeza absoluta.  Também não hesite em usar outros tipos de bananas, ou até vários tipos de bananas juntos: como na torta de maça, eu acho que sempre fica mais interessante já que cada banana traz uma caracteristica própria.
  • Não deixe de fazer o pudim repousar antes de assá-lo pois isso vai permitir ao pão ficar bem encharcado com o creme. E por favor, você vai me prometer que não vai deixar de usar a canela aqui: ela fica perfeita com a banana e dá um perfume especial ao prato. Sirva morno ou frio, com uma bola de sorvete ou com um chantilly bem pouco açucarado.
  • Serve pelo menos8 pessoas, receita do excelente Inn Cuisine
  • ingredientes

  • 500 gramas de pão tipo brioche
  • 100 gramas de manteiga sem sal
  • ½ copo de açúcar mascavo, bem apertado no copo
  • ¼ copo de mel
  • 6 bananas maduras (eu usei banana-maçã mas banana prata fica ótima também)
  • 6 ovos
  • 2 copos de leite
  • 4 colheres de sopa de manteiga derretida (ou 50 gramas)
  • 2 colheres de sopa de açúcar
  • 2 colheres de chá de baunilha
  • 2 colheres de chá de canela em pó
  • 2/3 copo de nozes picadas grosseiramente
  • 3 colheres de sopa de açúcar mascavo
  • ½ colher de chá de canela em pó
  • modo de preparo

  • 1. Unte de manteiga um pirex grande de 35 cm x 22 cm e reserve. Numa panelinha, ponha a manteiga, o açúcar mascavo (1/2 copo) e o mel. Leve ao fogo médio até ferver e o açúcar derreter. Retire do fogo e despeje esse caramelo no pirex untado, mexendo para que o caramelo cubra toda a superfície do pirex.
  • 2. Fatie as bananas na diagonal em pedaços de 1 cm de espessura. Ponha as bananas fatiadas por cima do caramelo, cobrindo todo ele. Reserve.
  • 3.Corte os pães em fatias de aproximadamente 1 cm de espessura. Cuidadosamente ponha as fatias lado a lado em cima das bananas. Faça 2 camadas de pão. Vai ficar bem rente a borda.
  • 4. Numa vasilha, junte os ovos, o leite, a manteiga derretida, o açúcar, a baunilha, e a canela. Misture bem com um garfo ou um fouet. Agora bem delicadamente, entorne devagar por cima dos pães. O ideal é entornar um pouco e deixar absorver o creme antes de adicionar mais creme. Use todo o creme. Forre o pirex com papel alumínio e leve a geladeira por no mínimo 1 hora e até 12 horas.
  • 5. Quando for assar o pudim de pão, pré-aqueça o forno a 180°C. Misture numa vasilha as nozes partidas, o açúcar mascavo e a canela. Salpique por cima de todo o pudim de pão e leve ao forno quando este estiver bem quente. É uma boa idéia por um tabuleiro de baixo do pirex pois algum caramelo é passível de espirrar! Asse por 45-55 minutos ou até umsa faca sair seca do pudim e  ele estar bem dourado. Deixe repousar uns 10-15 minutos antes de partir.
  • Outra Boa Idéia: Bolo de Chocolate com Calda de Caramelo e Amendoins e Bolo de Maçãs Carmeladas

22 de março de 2010

  • Voltamos ao meu tópico preferido, o único para quem eu sistematicamente rezo todas as noites- bem talvez excluindo meus filhos, minha família, meus amigos, a paz mundial,… ah e também as sobremesas de uma forma geral. Enfim, entenderam o dilema. Chocolate! É verdade que eu já havia dito por aqui que não sou fã de misturar chocolate com frutas, e isso continua sendo verdade. Só consigo lembrar da banana como par perfeito para meu chocolate mas essa trufas são uma grata , alias gratíssima surpresa. Inspiradas no maravilhoso macaron do Pierre Hermé, não sei como demorei tanto tempo para transformar a idéia dessa ganache do recheio em trufas. O chocolate ao leite aqui combina perfeitamente com a acidez do maracujá e o seu perfume intenso. Eu tenho usado e tido um melhor resultado com chocolate da LACTA, (especialmente o meio amargo que tem um teor de cacau maior que os outros) E use também frutas frescas, afinal maracujás são um dos nossos trunfos aqui no Brasil!

  • Guarde essas trufas na geladeira e retire-as uns 20 a 30 minutos antes de servir para o chocolate chegar perto da temperatura ambiente e mostrar toda a sua força!
  • Quando for manipular o chocolate para ser derretido, não se esqueça de ter todas as superfícies bem secas pois umidade é o inimigo numero 1 do chocolate.
  •  
  • Faz umas 30 trufas
  • ingredientes

  • 400 gramas de chocolate ao leite (eu gosto do LACTA)
  • 250 ml de polpa de maracujá, fresca (2 ou 3 maracujás)
  • 3 colheres de sopa de açúcar
  • 80 gramas de manteiga sem sal a temperatura ambiente
  • 1 copo de cacau em pó
  •  
  • modo de preparo

  • 1.  Pique o chocolate em pedaços bem pequenos.  Ponha numa vasilha (limpa e bem seca) que encaixe em cima de uma panela para derreter o chocolate em banho-maria.  Em fogo médio/baixo, derreta o chocolate mexendo com uma espátula regularmente.  
  • 2. Enquanto isso retire a polpa dos maracujás. Ponha tudo num liquidificador e pulse algumas vezes para soltar a polpa das sementes.  Passe por uma peneira e descarte as sementes. Queremos 200 ml de polpa. Se tiver mais, use para outra coisa. Ponha os 200 ml de polpa numa panelinha com o açúcar e leve a fogo baixo. Deixe ferver e cozinhe por alguns minutos até a polpa começar a engrossar um pouco. Desligue o fogo e entorne no chocolate derretido, fora do banho-maria. Mexa delicadamente com uma espátula até o creme estar homogêneo.
  • 3. Deixe o creme esfriara um pouco: o chocolate tem que estar a menos de 40°C para incorporar a manteiga. Quando o chocolate estiver morno, ponha a manteiga à temperatura ambiente, aos poucos, mexendo com a espátula para incorporar toda ela. Assim que a manteiga estiver toda incorporada ao chocolate, entorne numa vasilha rasa. deixe resfriar totalmente antes de cobrir com um filme plástico e levar a geladeira.
  • 4. Quando o chocolate estiver bem firme (leva umas 4 horas pelo menos), tire a vasilha da geladeira. Ponha o cacau num prato e pegue 2 colheres de sobremesa. Usando as colheres, faça bolinhas com a massa de chocolate e ponha no cacau. Enrole rápido e retire do cacau usando uma colher vazada ou uma peneirinha. Esse processo tem que ser feito bem rápido pois o chocolate derrete facilmente nas mãos. Depois que enrolar todas as trufas, guarde na geladeira e retire uns 20 minutos antes de servir.
  •  
  • Outra Boa Idéia: Brownies de Framboesa e o Meu Bolo de Chocolate Ideal

19 de março de 2010

  • Eu não tenho tido tanto tempo para ler quanto gostaria. Afinal depois que a casa está relativamente em ordem, que os filhos estão relativamente bem cuidados, que meu trabalho está feito, muitas vezes estou tão cansada que não faço outra coisa alem de dormir. Mas nos momentos em que sou uma pessoa relativamente normal, adoro ler um livro que me faça parecer um tantinho inteligente. Ou pelo menos um livro ao final do qual eu sinta que minhas células cinza se moveram e que meu cérebro deu sinais de vida.
  • Estou lendo e adorando o excelente “Pegando Fogo- Porque cozinhar nos tornou humanos”, de Richard Wrangham, editado pela ZAHAR: é um livro que definitivamente me fez parar para pensar a cozinha.  A premissa do livro gira em torno da teoria de Wrangham de que nos tornamos humanos porque começamos a cozinhar. Quer dizer, a natureza foi domada com o fogo mas a humanidade foi atribuída ao cozimento dos alimentos. Sem querer entrar em muitos detalhes pois o assunto é vasto e fascinante demais para umas poucas linhas, o livro me levou a pensar na minha relação com a cozinha, e por conseguinte a relação dos meus filhos com a mesma.  Não acho que todo mundo deva saber cozinhar, mas acho que em cada grupo/família alguém deve saber cozinhar. E isso é imperativo, como diz o Michael Ruhlman em matéria sobre o mesmo assunto.  Cozinhar é muitas vezes tido com um passatempo ou como uma obrigação, o que realmente pode ser , mas a cozinha nos dá a possibilidade de evoluir como indivíduos, nos dando a condição de comer direito, de forma saudável, sem depender de outros, isto é restaurantes, fast-food, etc.
  • “Devemos encontrar maneiras de tornar nossa antiga dependência da comida cozida mais saudável.” - Richard Wrangham
  • receita do bolo (somente) adaptada do livro Southern Cakes
  • ingredientes

  • 3 copos de farinha de trigo
  • ½ colher de chá de bicarbonato de sódio
  • ¼ de colher de chá de sal
  • 1 copo de leite
  • 1 colher de chá de baunilha
  • 150 gramas de manteiga sem sal, a temperatura ambiente
  • 2 ½ copos de açúcar mascavo, bem apertado no copo
  • ½ copo de açúcar comum, branco
  • 5 ovos
  • Calda:
  • 100 gramas de manteiga sem sal
  • 1 copo de açúcar mascavo
  • ¼ copo de leite
  • 1 colher de chá de baunilha
  • modo de preparo

  • 1. Numa vasilha, misture a farinha, o bicarbonato e o sal. Reserve. Unte uma forma redonda de tubo com bastante manteiga e polvilhe com farinha. Reserve. Pré-aqueça o forno a 180ºC.
  • 2. Na vasilha da batedeira, ponha a manteiga. Bata bem até formar um creme leve. Adicione o açúcar mascavo em 3 vezes, batendo bem entre cada vez. Quando tiver adicionado todo o açúcar mascavo e tiver obtido um creme bem leve, adicione o açúcar comum. Bata mais um pouco e acrescente os ovos um por um, batendo bem entre cada ovo.
  • 3. Quando houver incorporado todos os ovos à massa, acrescente o leite e a farinha em 3 vezes, sempre começando e terminando pela farinha. Entorne a massa na forma preparada e leve ao forno por 1hr10 ou ate a faca sair limpa de dentro do bolo. Retire o bolo e deixe esfriar antes de virar em um prato.
  • 4. Enquanto isso prepare a calda de caramelo. Derreta a manteiga numa panela. Quando ela estiver toda derretida, adicione o açúcar e o leite. Misture até ferver, e deixe borbulhar por 1 minuto. Retire do fogo e acrescente a baunilha.
  • 5. Com o bolo já virado em um prato, passe 1/3 da calda em cima do bolo. Use uma faca de ponta redonda para passar calda nas laterais também. Espere uns 10 minutos para essa primeira camada secar e ponha mais 1/3 de calda, espalhando pelo bolo todo. Espere de novo uns 10 minutos para secar e entorne o restante todo da calda. Deixe secar um pouco antes de partie, isto é, se conseguir resistir…

Outras Boas Idéias: Bolo de Açucar Mascavo e Castanhas do Pará e Bolo de Banana e Chocolate

15 de março de 2010

  • Eu tenho uma confissão a fazer: não sou terrivelmente fã de maionese.  Bem talvez eu tenha sido muito mal influenciada pela famosa versão industrial, mas acontece que o resultado hoje em dia é que cada vez que eu vejo salada de batata com maionese, fico toda arrepiada. Eu sei, eu sei, tenho que experimentar a tal salada com maionese feita em casa: já me disseram que o resultado é outro completamente. Mas como o estereotipo já esta implementado, eu fico torcendo o nariz e fazendo cara feia a cada menção e/ou visão da dita cuja.

  • Então minha alegria foi enorme ao descobrir essa receita numa edição da revista americana COOK’s: nem sombra de maionese, muito sabor e consistência e um monte de coisas crocantes e gostosas!  Eu usei a batata vermelha que fica mais firme cozida mas não deixe de usar o vinagre na água de cozimento pois ele ajuda nesse processo: a acidez do vinagre diminui a dissolução da pectina nas batatas, o que as deixa mais firmes, mais tempo. E procure usar uma frigideira que não seja antiaderente para o bacon poder caramelizar tornando o sabor da salada mais interessante.
  •  
  • ingredientes

  • 4 a 5 pepinos japoneses (ou 2 pepinos comuns)
  • 2 colheres de sopa de açúcar
  • 1 copo de vinagre de vinho branco
  • 1 colher de chá de endro
  • 1 quilo de batatas
  • 200 gramas de bacon picado
  • ¼ copo de azeite de oliva
  • 1 cebola media (ou o equivalente a 1 copo)
  • ¼ copo de mostarda de grãos, ao vinho branco
  • Pimenta e sal
  • ¼ copo de salsa picada
  • modo de preparo

  • 1. lave os pepinos, seque-os e pique em cubos grandes. Se for usar os pepinos comuns ao inves do pepino japones, descasque-os antes de picar. Ponha-os numa tigela e acrescente o açúcar, o endro, uma pitada de sal, e ½ copo do vinagre. Reserve.
  • 2. Lave bem as batatas e fatie em rodelas de aproximadamente 1 cm cada. Ponha as batatas numa panela grande com o restante do vinagre (½ copo) e 1 colher de sopa de sal. Leve ao fogo alto até ferver. Abaixe o fogo e cozinhe as batatas até elas estarem cozidas porem firmes. O tempo exato vai depender do frescor da batata e do tamanho das rodelas mas conte 10 a 15 minutos pelo menos.
  • 3. Enquanto isso, numa frigideira frite o bacon. Quando ele estiver dourado e crocante, use uma escumadeira para retirar os pedaços e jogue o óleo fora. Na mesma frigideira (não lave, queremos o fundo de bacon!) ponha o ¼ de copo de azeite e a cebola fatiada bem fina. Refogue a cebola até estar transparente e ligeiramente dourada. Tire do fogo.
  • 4. Escorra os pepinos reservando o liquido. Ponha esse liquido todo na frigideira com as cebolas, junte a mostarda, sal e pimenta. Leve ao fogo médio e ferva por um minuto. Retire do fogo e jogue por cima das batatas. Mexa com muito cuidados para envolver as batatas todas no molho. Deixe repousar por no mínimo 10 minutos para as batatas absorverem o molho.
  • 5. Junte às batatas a salsa picada, os pepinos e o bacon. Ajuste o tempero com sal e pimenta se necessário. Sirva morno ou a temperatura ambiente.
  • Outra Boa Idéia:  Salada de Melancia e Rúcula com Queijo Feta

Próxima página »