simplesmente delícia

Arquivo de janeiro de 2010

16 de janeiro de 2010

  • Essa salada é presente em vários países como Grécia (tzatziki), Turquia, Iraque, Afeganistão (mast-o-khiar) e os países que antes formavam a Iugoslávia. Como nomes diferentese algumas variaçoes, a essência permanece a mesma: pepinos e molho de iogurte. No Iran, por exemplo, é comum acrescentar passas mas também são encontradas versões com sementes de romã e salsa picada assim como nozes e azeitonas. É um prato perfeito para nosso verão: refrescante, fácil de preparar ainda fica melhor se preparado com antecedência!
  •  
  • ingredientes

  • 6 pepinos japoneses (ou 2 ou 3 pepinos comuns, retirando a casca)
  • 1/3 copo de passas
  • ¾ copo de folhas de hortelã picadas
  • 2 tomates bem maduros, sem sementes, picados
  • 1 pimenta dedo-de-moça picadinha (opcional)
  •  
  • 2 copos de iogurte natural
  • 1/3 copo de azeite extra-virgem
  • ½ copo de suco de limão
  • 2 dentes de alho, picadinhos
  • Sal e pimenta a gosto
  •  
  • modo de preparo

  • 1. Misture todos os ingredientes do molho: iogurte, azeite, limão e alho. Tempere à gosto com sal e pimenta e reserve numa vasilha. O molho de iogurte pode ser feito na véspera.
  • 2. Lave bem os pepinos e seque-os. O pepino japonês tem uma casca bem macia e não precisa ser descascado mas se você for usar o pepino comum, retire a casca. Corte em rodelas ou pique em cubinhos, ou use uma mandoline.  Ponha todos os pepinos para escorrer com uma pitada de sal. Os pepinos precisam escorrer por no mínimo 1 hora. Você pode deixar mais tempo mas deixe-os na geladeira. Não se esqueça de por uma vasilha em baixo porque vai escorrer muita água!!
  • 3. Ponha as passas numa vasilha com água quente e deixe hidratar por uns 30 minutos. Escorra e reserve.
  • 4. Depois de escorridos, junte os pepinos com os tomates picados, a pimenta dedo de moça se for usar, a hortelã picada e as passas. Misture delicadamente o molho de iogurte: não use todo o molho pois os pepinos vão continuar a dar água e não queremos que nossa salada vire uma sopa!  Leve a geladeira. Você pode servir imediatamente mas essa salada fica melhor após algumas horas na geladeira.
  •  
  • Outra Boa Idéia: Salada de Pepinos e Sementes de Papoula

8 de janeiro de 2010

  • Eu tinha guardado essa receita de pipoca caramelada de um jornal americano, e vinha paquerando ela de tempo em tempo. Lia, relia, paquerava, namorava e fazia fé de que havia um futuro entre nós. Eu queria entrar nesse relacionamento com a certeza de que ele seria sério e duradouro. E dessa vez eu consegui! Essa receita é para a vida toda. É a melhor pipoca caramelada que existe. E não estou falando isso cega de amor por mais essa receita, mas sim porque em 5 minutos esses 14 copos de pipocas foram devorados por um grupo de adolescentes. Bem talvez não 5 minutos, mas pareceram 5 minutos… Eu tive que tirar as pipocas de perto para poder fotografa-las pois os monstrinhos adolescentes em questão começaram a comê-las ainda quentes.  E mesmo que você não goste de pipocas carameladas - não que eu acho isso possível ou mesmo normal - experimente misturar as pipocas com 1 copo de amendoins salgados ou castanhas do Pará picadas, com uma pontinha de pimenta caiena, e você vai ter um aperitivo maravilhoso.
  • Obs: eu acho pipocas de panela muito superiores às feitas no micro-ondas mas se você preferir, use pipocas de saquinho e estoure as no MO.  Essa técnica para panela aprendi com a Elise e as pipocas ficam perfeitas sempre.
  • ingredientes

  • 1/2 copo de milho de pipoca (ou 14 copos de pipoca já estouradas)
  • 5 colheres de óleo de canola ou óleo de girassol
  • 2 copos de açúcar mascavo, bem apertado no copo
  • 1 copo de manteiga sem sal (200 gramas)
  • 1/2 copo de Karo (xarope de glucose)
  • 1 colher de chá de sal
  • 1 colher de chá de bicarbonato de sódio
  • modo de preparo

  • 1. Pré-aqueça o forno a 100°C. Isso é provavelmente a temperatura mais baixa do seu forno e na maior parte dos fornos/fogões de uso domestico no Brasil, não tem nem marcação no botão do forno.  Mas é só acender o forno e levar o botão até a mínima temperatura antes de apagar.
  • 2. Numa panela bem grande, aqueça o óleo em fogo médio/alto. Quando o óleo estiver quente, jogue dentro 3 ou 4 grãos de milho e tampe a panela. Quando esses grãos pipocarem, ponha o resto dos grãos todos, tampe a panela e tire do fogo (mas deixe o fogo ligado!). Conte até 30 e volte com a panela ao fogo. Isso vai permitir o óleo ficar na temperatura certa. Quando os milhos estiverem pipocando ferozmente, mexa a panela de um lado para o outro (e não de cima para baixo!). Quando acabarem de pipocar, retire do fogo e entorne todas as pipocas numa vasilha grande, levemente untada de manteiga. Retire qualquer grão de milho que não tiver pipocado. Deixe esfriar e cubra com filme plástico.
  • 3. Numa panela media, ponha a manteiga, o açúcar mascavo, o Karo e o sal. Leve ao fogo médio e mexa de vez em quando até começar a borbulhar. Quando borbulhar (vide foto), pare de mexer e deixe o caramelo engrossar por 5 minutos. Se você tiver um termômetro de cozinha, cozinhe o caramelo até 120 graus. Retire do fogo, ponha o bicarbonato e mexa bem com uma colher. A mistura vai borbulhar ferozmente. Entorne tudo nas pipocas e mexa bem com 2 garfos untados de manteiga. Mexa bem até todas as pipocas estarem todas recobertas de caramelo.
  • 4. Ponha as pipocas num tabuleiro (sem untar) e leve no forno pré-aquecido por 1 hora, mexendo a cada 15 minutos com os garfos. Retire do forno e deixe esfriar. Guarde em recipiente com tampa.
  • Outra Boa Idéia: Amendoins Caramelizados

4 de janeiro de 2010

  • Fiquei pensando se iria postar logo essa receita ou se esperava mais um pouco. Não que a receita tenha algum problema, ao contrario! Já fiz varias vezes e não pareço me cansar. Mas parece de praxe as pessoas começarem o ano falando em dietas, promessas feitas para perder peso, pratos leves, desintoxicante, etc. após os excessos das festas de final de ano. Porem eu sou do partido que Ano Novo Bom começa com Comida Boa! E a pissaladière é particularmente deliciosa no verão, pois, pessoalmente, acho mais gostosa quando servida à temperatura ambiente. Típica do Sul da França, ela é comumente encontrada em boulangeries e mercados locais (mais recentemente tem sido vista também em bistrôs e pizzarias), onde é vendida cortada em pedaços quadrados para serem comidos com as mãos ou para serem levados para casa para uma refeição leve acompanhada de uma salada.
  • A pissaladière clássica é feita com apenas tomates, cebolas, anchovas e azeitonas pretas. Mas como eu tinha um pote de pesto na geladeira, fiz uma variação vegetariana sem anchovas. A massa da pissaladière tem classicamente duas variações: massa de pão branco ou massa de brioche e confesso que acho a brioche mais interessante aqui.  Alguma coisa com o doce da massa que contrasta muito bem com as cebolas e o ácido do tomate (e o salgado das anchovas quando as uso). A massa pode ser feita de véspera assim como o molho de tomates e as cebolas refogadas: deixe a massa crescendo na vasilha e os recheios prontos na geladeira. No dia de assar é só montar a pissaladière.

  • ingredientes

  • 15 gramas de fermento biológico seco instantâneo, ou 1 colher de sopa + 1 colher de sobremesa
  • 2 colheres de sopa de açúcar
  • ½ copo de água morna (35 a 38 graus)
  • 1 copo de manteiga sem sal derretida, morna (200 gramas)
  • 1 ½ colher de chá de sal
  • 4 copos de farinha de trigo
  • 4 ovos
  • 2 latas de tomates tipo italiano
  • 4 dentes de alho
  • 4 a 6 Raminhos de tomilho (só as folhinhas)
  • 2 colheres de sopa de azeite
  • 4 cebolas grandes
  • 3 colheres de sopa de manteiga sem sal
  • 1 copo de molho pesto, ou anchovas e azeitonas
  • modo de preparo

  • 1. Misture o fermento, o açúcar, e a água morna.  Adicione a manteiga derretida e o sal. Misture com uma colher de pau e reserve.
  • 2. Na vasilha da batedeira, ponha a farinha, os ovos e a primeira mistura do fermento. Misture em velocidade baixa até formar uma bola. É muito rápido, não precisa sovar a massa muito tempo. Ponha a massa numa vasilha bem grande, untada de manteiga.  Role a massa pela vasilha para ela ficar untada de um pouco da manteiga também. Cubra a vasilha e deixa a massa crescer por 1h a 1H30, ou até dobrar de tamanho.
  • 3. Após a massa crescer, soque-a para tirar um pouco do ar. Numa superfície ligeiramente polvilhada de farinha, abra a massa e coloque-a delicadamente numa forma retângula, de untada de manteiga. Aperte com os dedos para a massa forrar todo o tabuleiro. Deixe a massa crescer de novo por mais 1 hora.
  • 4. Enquanto isso, abra as latas de tomates. Pique os dentes de alho e numa panelinha, doure- os no azeite. Pique os tomates (ou faça como eu e esmague- os com a colher de pau contra as laterais da panela) e refogue-os (tomates e liquidos da lata) no alho junto com o tomilho. Deixe o molho de tomates engrossar e secar, mexendo sempre com a colher. Isso vai levar uns 20 a 30 minutos. Tempere com sal e pimenta e Reserve.
  • 5. Descasque as cebolas e corte em fatias finas. Se você tiver uma mandoline, vai facilitar o trabalho e o resultado final fica ainda mais bonito! Numa frigideira bem grande, derreta a manteiga. Junte as cebolas e refogue-as em fogo bem baixo.  Cuidado para não queimar as cebolas: queremo-las translucidas e bem cozidas. Pode levar uns 20/30 Mn. Reserve.
  • 6. Depois que a massa tiver crescido já no tabuleiro, monte a pissaladiere. Comece com o pesto, se for usar. Ponha o molho de tomates por cima, espalhando bem, e termine com as cebolas refogadas. Se forem usar as anchovas (ao invés do pesto), ponha-as por ultimo, espalhando por toda a superfície. Termine com as azeitonas. Leve ao forno pré-aquecido a 180º por 30-35 minutos. Sirva morno ou frio.
  • Outra Boa Idéia: Pizza de Mozzarella de Búfala e Manjericão