simplesmente delícia

Arquivo de julho de 2009

30 de julho de 2009

Eu não sou muito fã de modismos. Alias, a minha primeira tendência é fugir deles e isso vale pra cozinha também. Quer dizer, da mesma forma que é pouco provável que você vá me encontrar lendo o ultimo best-seller da literatura, também é pouco provável que você me encontre cozinhando algo somente porque está na moda. Na França já a algum tempo parece que só se vê verrines em todas as vitrines de lojas e revistas de culinária. “Verrines” são aqueles copinhos com varias camadas de texturas e cores diferentes. Veja bem, eu até acho o conceito muito interessante mas quando vira uma obsessão, aí perde a razão.

Pratos quadrados também parecem ter sido descobertos por um numero infelizmente enorme de restaurantes. Na realidade não é tanto o formato do prato que me incomoda mas  sim aquelas 3 gotinhas de uma calda qualquer com um traço de outra calda ali rabiscados como um selo de aprovação necessário para uma cozinha moderna.

Mas esses cakes salgados, que também estão em voga lá fora, fazem todo sentido pra mim. Servidos com uma salada de tomates ou até mesmo de folhas variadas fazem uma deliciosa refeição. O bolo fica lindo servido como um prato de buffet e fica perfeito vários dias se bem envolto com filme plástico e papel alumínio.

  • ingredientes

  • 1 ½ copo de farinha de trigo
  • 2 colheres de sobremesa de fermento em pó
  • ½ colher de chá de pimenta caiena
  • ½ colher de chá de sal
  • 4 ovos
  • 100 ml de azeite extra-virgem, de preferência bem perfumado
  • 120 gramas de iogurte natural
  • 100 gramas de queijo gorgonzola
  • ½ copo de queijo parmesão ralado
  • ¼ de copo cheio de orégano fresco
  • ¼ de copo cheio de salsinha
  • ¼ de copo cheio de manjericão
  • ¼ de copo cheio de ciboulete (ou cebolinha)
  • modo de preparo

  • 1. Pré-aqueça o forno a 180º C. Numa vasilha misture a farinha, o sal, o fermento e a pimenta caiena e reserve. Forre uma forma retangular de 24 cm com papel manteiga, unte de azeite e reserve.
  • 2. Lave, seque e pique bem todas as ervas. Pique o queijo gorgonzola e reserve.
  • 3. Na vasilha da batedeira, ponha os ovos, o azeite e o iogurte. Bata até formar uma massa homogênea. Junte os secos e bata mais um pouco. Quando a massa estiver livre de marcas de farinha, adicione as ervas e os queijos gorgonzola e parmesão. Entorne na forma preparada e leve ao forno por 45/50 minutos ou até o bolo estar dourado. Espere 5 minutos e retire da forma com cuidado. Deixe esfriar e sirva a temperatura ambiente.
  • Outra Boa Idéia: Arroz Verde

27 de julho de 2009

Ok, as crianças ainda estão de férias mas essa receita era mesmo para satisfazer o meu eterno desejo por amendoins e caramelo. Não sei qual o fator principal que faz dessa combinação uma das minhas preferidas. Acho que é o contraste do sal com o doce, do crocante com o melado; não sei bem, mas não vou perder meu tempo analisando pois essa sobremesa é boa demais e super simples de fazer. As bananas ficam perfeitas sozinhas e, melhor ainda quando acompanhadas de uma bola de sorvete de creme. Se você for servir adultos, ponha uma ou duas colheres de rum na calda e você vai levar seus convidados aos céus!!

Obs: Essa calda de caramelo é muito facil mas se voce quiser simplificar ainda mais essa receita, use uma calda de caramelo pronta, do tipo usada para sorvete.

  •  
  • ingredientes

  • 6 bananas prata, maduras porém firmes
  • ½ copo de amendoins salgados
  • ¾ copo de açúcar mascavo
  • 1 copo de creme de leite fresco
  •  
  • modo de preparo

  • 1. Numa panela pequena, ponha o creme de leite com o açúcar mascavo. Misture em fogo médio até o açúcar derreter por completo. Então aumente o fogo e ferva por aproximadamente 10 minutos até formar um caramelo bem cremoso. Tire do fogo e reserve.
  • 2. Pré-aqueça o forno a 220º C. Com uma faca afiada, faça um corte de uma ponta à outra em um dos lados das bananas sem abrir a casca totalmente. Com uma faca ou uma colher pequena, retire um pouco da polpa. Use essa polpa para outra coisa. Ponha um pouco de amendoins dentro de cada banana.
  • 3. Usando uma pequena colher, derrame um pouco de caramelo dentro de cada banana. Feche-as bananas o maximo que puder usando a própria casca. Envolva cada banana com um pedaço de papel aluminio e disponha-as num tabuleiro. Leve ao forno por no mínimo 30 minutos ou até as bananas estarem cozidas e moles na ponta da faca. Sirva quente ou morno com o resto da calda de caramelo e uma bola de sorvete de creme.
  •  
  • Outra Boa Idéia: Cupcake de Banana e Coco

22 de julho de 2009

O café da manha não é uma refeição que me faça normalmente perder o sono. Se tiver minha granola e meu iogurte estou feliz! Mas de vez em quanto é bom dar uma sacudida no status quo e nada como os rebentos de ferias para atacar a cozinha logo cedo! Bem, talvez não tão cedo já que as férias são pelo visto um bom motivo para acordar numa hora quase inapropriada…

Com os novos horários da casa belamente implementados, resolvi encarar meu enorme preconceito com frituras. Já havia mencionado aqui que tenho problemas sérios em abrir meu coração para essa técnica. A única coisa que me vem à cabeça quando vejo um prato de frituras - e pode ser qualquer coisa - é aquele monte de gordura! Estou até começando a achar que deve ter um dedinho de fobia… Mas enfim, isso é mais uma das neuras que eu resolvo, ou pelo menos finjo que resolvo, na corrida, a única coisa que muitas vezes me separa de um ataque de nervos!!!

Bom, voltando ao assunto, quando vi uma receita parecida com essa no Chubby Hubby, decidi que a hora havia chagado. Hora de começar a pesquisar os porems e senões da rabanada, ou pain-perdu ou french-toast ou o que quer que sejam esses maravilhosos pãezinhos mergulhados nesse creme indecente e frito em manteiga… Quer dizer, quais eram os pré-requisitos pra esse prato dar certo, quais eram os ingredientes chave, qual a melhor forma de preparo.

Na realidade, o fator crucial aqui é a qualidade do pão. Um bom pão é fundamental e fator decisório para a nota 10 no final. Qualquer excelente pão vai ficar bom aqui mas os pães do tipo brioche são a escolha mais clássica. Mas eu posso praticamente garantir que um pão integral, ou 7-grãos, cortado em fatias grossas, vai dar um prato magnífico. Molhe as fatias grossas rapidamente no creme para elas não desmancharem e sirva quente ou morno, com mel, frutas (fica delicioso com morangos), ou até sorvete!

Os rebentos e amigos dos rebentos se lambuzaram os beiços logo cedo (ou quase cedo…) pela manhã!!!

    Ingredientes

  • 300 gramas de pão tipo brioche, em fatias grossas
  • 2 ovos
  • 200 gramas de creme de leite fresco
  • 100 ml de leite
  • 1/3 copo de açúcar
  • 2 colheres de sobremesa de aroma de baunilha
  • ½ colher de sal de flor de sal
  • 10 ml de cachaça (ou whisky)
  • Manteiga, umas 4 colheres de sopa separadas
  • Modo de preparo

  • 1. Ponha os ovos, o creme de leite, o leite, o açúcar, a flor de sal e a cachaça numa vasilha. Misture bem com um fouet e reserve.
  • 2. Como eu usei pequenos brioches com casca, retirei um pouco das cascas e parti os pães na sua altura, para fazer duas fatias bem grossas. Ponha uma frigideira media em fogo médio/alto e derreta uma boa colher de manteiga. Enquanto a manteiga estiver derretendo, mergulhe uma ou duas fatias de pão de cada vez no creme. Vire as fatias no creme para molhar por inteiro mas não deixe encharcar a ponto do pão de desfazer. Isso leva alguns segundos apenas (Eu afundo a fatia de pão no creme, viro de lado e tiro logo do creme).
  • 3. Tire os pães do creme e ponha-os imediatamente na frigideira com a manteiga quente. Deixe dourar bem de um lado antes de virar os pães com uma espátula para dourar do outro lado. Enquanto os pães douram, vá preparando os outros no creme. Eu gosto de dourar de 4 a 6 fatias pequenas de cada vez senão fica difícil de tirá-las com a espátula.
  • 4. Assim que estiverem bem dourados, tire os pães com espátula e ponha num prato. Ponha mais manteiga na frigideira antes de dourar mais uma leva de pães.
  • Polvilhe açúcar de confeiteiro e sirva quente ou morno.

Outra Boa Idéia: Pudim de Pão de Nutella

19 de julho de 2009

Como ainda me sobravam algumas laranjas, e eu não suporto desperdício, eu fiz um esforço colossal para voltar à cozinha e fazer mais um bolo. E aproveitei para usar uma combinação que sempre achei exemplar: laranja com maracujá. Eu adoro maracujá, seu perfume, sua textura (adoro as sementes!!), seu amargo. Mas queria usá-lo como um toque a mais, como uma surpresa. E queria também um bolo que onde as duas frutas estivessem realmente presentes, nada de sabores distantes ou perfumes esvaecidos. Então a única opção era encharcar o bolo de calda de laranja e depois derramar a segunda calda, a de maracujá, por cima. Bem eu imagino que existem coisas piores do que um bolo com duas caldas, uma bem docinha com gosto de laranja e a outra, quase um caramelo, com o perfume encantador do maracujá… 

  •  
  • ingredientes

  • 100 gramas de manteiga sem sal, derretida e à temperatura ambiente
  • 3 laranjas orgânicas
  • 2 copos rasos de farinha
  • 2 colheres de sobremesa de fermento em pó
  • 6 ovos
  • 1 ¾ copo de açúcar
  • 1 colher de sobremesa de sal
  • 140 ml de creme de leite fresco
  •  
  • ½ copo de suco de laranja
  • 2 copos de açúcar de confeiteiro
  •  
  • 2/3  copo de polpa de maracujá
  • 1 copo de açúcar
  • 1 copo de água
  •  
  • modo de preparo

  • 1. Pré-aqueça o forno a 180ºC. Forre com papel manteiga uma forma retangular de 26 cm. Unte com manteiga e polvilhe de farinha. Reserve.
  • 2. Rale as cascas das laranjas com cuidado para não retirar a parte branca da fruta. Junte as raspas ao açúcar e com as pontas dos dedos, esfregue bem o açúcar às raspas para liberar todos os óleos perfumados. Reserve. Numa outra vasilha, junte a farinha, o fermento e o sal e reserve.
  • 3. Na vasilha de uma batedeira, ponha os ovos e o açúcar com as raspas. Bata em velocidade alta até formar uma massa bem leve. Acrescente o creme de leite misture rápido em velocidade baixa. Adicione então a farinha com o fermento e sal e misture delicadamente, na velocidade mais baixa, somente até todos os ingredientes estarem incorporados a massa. Por fim, misture delicadamente a manteiga derretida. Pare a  batedeira e ponha toda a massa na forma preparada. Leve ao forno pre-aquecido por 50 minutos ou até uma faca sair limpa do centro do bolo.
  • 4. Enquanto isso, esprema as laranjas até obter ½ copo de suco. Adicione os 2 copos de açúcar e misture (essa calda não vai ao fogo!). Fure o bolo todo ainda quente e entorne a calda bem devagar. Derrame aos poucos para a calda entrar toda nos furinhos do bolo. Deixe o bolo esfriar totalmente antes de prosseguir.
  • 5. Numa panela pequena, misture a polpa dos maracujás, a água e o açúcar. Em fogo alto, misture até dissolver todo o açúcar. Abaixe o fogo e deixe ferver em fogo médio/baixo até a calda engrossar.
  • 6. Enquanto isso desenforme o bolo passando uma faca entre as laterais para ter certeza que ele esteja bem solto da forma. Inverta o bolo num prato e em seguida vire ele de volta de cabeça pra cima. Com o bolo já no prato de servir, entorne a calda de maracujá pelo bolo todo. Sirva a temperatura ambiente.
  •  

 Outra Boa Idéia: Bolo de Azeite e Xerès

14 de julho de 2009

Mais um clássico. E esse intrinsecamente ligado a nossa cultura culinária brasileira já que o estrogonofe é aqui freqüentemente lembrado como um prato que remete a nossa infância. E foi por isso que resolvi voltar às origens e tentar lembrar como era o prato na sua concepção primeira.

O Stroganov é um prato de origem russa que entrou na Europa no século 18. Os Stroganov eram uma família de ricos comerciantes que tinham um chefe Frances que provavelmente deu à sua criação o nome dos mestres. Existem diversas variantes mas na base são filés de carne temperados com páprica servidos com um molho a base de creme. Acompanhavam arroz pilaf e cogumelos. Nas versões mais modernas, o prato é servido com uma massa de corte largo.

O único truque desse prato é prepará-lo rápido. A carne frita rapidamente em fogo alto, e o restante dos ingredientes deve ser acrescentado sem espera. Esse prato fica melhor se servido imediatamente mas você pode prepará-lo com antecedência e esquentar o molho em fogo baixo assim que o macarrão estiver pronto, na hora de servir.

Esse molho serve 3 a 4 pessoas

  • ingredientes

  • 400 gramas de filé mignon
  • ½ colher de sopa de páprica
  • 3 colheres de sopa de manteiga
  • 1 colher de sopa de azeite
  • Azeite
  • 2 colheres de sopa de cebolinha picada, a parte branca e a verde
  • ¼ de copo de vinho branco
  • 1 colher de sopa de Molho Inglês
  • 1 copo de creme de leite fresco
  • Sal e pimenta do reino
  • Salsinha picada
  • 500 gramas de massa cozida e escorrida
  • Modo de preparo

  • 1. Com uma faca bem afiada, corte o filé mignon em tiras cumpridas e bem finas. Ponha numa vasilha e misture com a páprica. Cubra e reserve por no mínimo 30 minutos.
  • 2. Numa frigideira grande, derreta 2 colheres de manteiga com 1 colher de azeite em fogo alto. Frite a carne rapidamente, mexendo delicadamente para dourar de todos os lados. Assim que a carne estiver uniformemente dourada, tire da frigideira junto com qualquer liquido que estiver na frigideira e ponha tudo numa vasilha.
  • 3. Volte a mesma frigideira para o fogo e junte 1 colher restante de manteiga. Refogue a cebolinha rapidamente por 1 minuto e junte o vinho e o Molho Inglês. Mexa rápido por mais 1 minuto e acrescente o creme de leite, sal e pimenta. Mexa com cuidado para não talhar o creme e junte a carne e os líquidos reservados. Esquente por mais um minuto e sirva imediatamente com fettuccine ou outra massa de corte largo, salpicando com salsinha.

Outra Boa Idéia: Spaghettini com Molho de Cream-cheese e Pistaches

Próxima página »