simplesmente delícia

Arquivo de fevereiro de 2009

11 de fevereiro de 2009

Esses bolinhos de couve-flor são muito parecidos com as pakoras, um clássico da cozinha do sul da Ásia (Índia, Paquistão, Punjabi). Os pakoras são uma mistura de legumes que podem ser cebola, berinjela, batata, tomate, espinafre, com ou sem carne (frango normalmente), fritos, servidos de aperitivo e lanche, usualmente com chai (chá).

Para essa versão do Ottolenghi, resolvi experimentar grelhá-los ao invés de frita-los. Meus quadris agradeceram e o sucesso foi total!! Tenho certeza que a versão frita não fica atrás então me conte como ficou se ao contrario de mim, você não morre de medo de frituras!! Para uma refeição completa, eles ficam deliciosos usados como recheio no pão pita e, pelo menos aqui em casa, foram igualmente devorados frios com uma salada de tomates.

  •  
  • ingredientes

  • 1 pequena couve-flor (aproximadamente 320 gramas)
  • 120 gramas de farinha
  • 3 colheres de sopa de salsinha picada, e um pouco mais para enfeitar
  • 1 dente de alho
  • 4 ovos de granja
  • 1 ½ colher de sobremesa de cominho
  • ½ colher de sobremesa de canela em pó
  • ½ colher de sobremesa de cúrcuma (ou açafrão da terra)
  • 1 ½ colher de sobremesa de sal
  • 1 colher de sobremesa de pimenta do reino moída
  •  
  • opcional: 500 ml de óleo de girassol para fritar
  •  
  • molho de iogurte
  • 300 gramas de iogurte natural
  • 2 colheres de sopa de coentro picado
  • A casca de 1 limão ralado bem fino
  • 2 colheres de sopa de suco de limão
  • 2 colheres de sopa de azeite extra-virgem
  • Sal e pimenta a gosto

  •  
  • modo de preparo

  • 1. Numa vasilha, ponha todos os ingredientes do molho de iogurte e misture bem. Prove (estamos procurando um sabor de limão acentuado) e ajuste os temperos. Reserve na geladeira.
  • 2. Prepare a couve-flor, limpando ela, retirando todas as folhas e cortando as flores em pedaços pequenos. Ponha-as em uma panela grande com água salgada e leve ao fogo, fervendo por 15 minutos. Escorra e reserve.
  • 3. Enquanto isso, numa vasilha misture a farinha, salsinha picada, alho, ovos, especiarias, sal e pimenta. Quando esse creme estiver bem homogêneo, adicione a couve-flor. Com um garfo, esmigalhe a couve-flor na massa.
  • 4. Se você for fritar, aqueça o óleo numa panela rasa. Quando o óleo estiver bem quente, com uma concha pequena, adicione a massa delicadamente. O óleo vai respingar por isso tome cuidado! Não aperte os bolinhos demais na panela para a temperatura do óleo não cair demais e comprometer o cozimento dos bolinhos. Quando um lado estiver dourado, vire os bolinhos com uma espátula. Isso deve levar 3 a 4 minutos de cada lado. Retire e deixa escorrer em papel-toalha antes de servir com o molho de iogurte.
  • 5. Se for grelhar, com um pincel de cozinha, unte a grelha com óleo ou azeite. Da mesma forma que na fritura, com uma pequena concha, faça os bolinhos bem espaçados. Quando estiver bem dourado de um lado, vire-o com uma espátula de mandei rapar não arranhar a grelha. Quando estiver pronto, é só servir com o molho de iogurte.

8 de fevereiro de 2009

Esse bolo é um verdadeiro milagre! Bem, não um milagre como o nascimento de uma criança ou um eclipse do sol, mas um milagre da culinária!! São duas camadas que no forno se juntam graças à água quente e formam um namoro delicioso entre um bolo e um pudim… e só nós sabemos como eu adoro namoros e casamentos… Mas a primeira vez que fiz essa receita, tive certeza que havia algum erro na quantidade de água (3 copos!! ) , mas fiquei encantada de descobrir que estava totalmente errada. A água em cima da massa do bolo vai, no forno, servir para criar a camada de pudim dessa sobremesa. Depois de pronto, o pudim fica cremoso e se mistura sinuosamente entre as camadas de bolo criando o perfeito pano fundo para uma bola de sorvete- não que precisássemos de mais uma desculpa para um sorvete pois com o calor que está fazendo aqui, quem está contando calorias??

  •  ingredientes

  • 2 copos de farinha
  • 4 colheres de sopa de cacau
  • 4 colheres de sobremesa de fermento em pó
  • ½ colher de sobremesa de sal
  • 1 ½ copo de açúcar
  • 1 copo de leite, à temperatura ambiente
  • 6 colheres de sopa de óleo de canola (ou 60 ml)
  • 2 colheres de sobremesa de extrato de baunilha
  •  
  • 1 copo de açúcar mascavo, bem apertado no copo
  • 1 copo de açúcar
  • ½ copo de cacau
  • 3 copos de água fervente
  •  
  • modo de preparo

  • 1. Pré-aqueça o forno a 180ºC. Unte ligeiramente com manteiga um pirex de 30 x 24 cm. Separadamente, na vasilha de uma batedeira misture a farinha, o fermento em pó, a primeira quantidade de cacau, o sal, e a primeira quantidade de açúcar. Adicione o leite, o óleo e a baunilha. Em velocidade media, bata por 1 a 2 minutos e ponha no pirex preparado.
  • 2. Numa outra vasilha, misture o açúcar mascavo, a segunda quantidade de cacau, e a segunda quantidade de açúcar. Delicadamente, esparrame sobre a massa preparada no pirex.
  • 3. Com uma colher de sopa, devagar ponha por cima do bolo toda a água fervente, tomando muito cuidado para não mexer nas camadas.
  • 4. Asse por 45/ 48 minutos ou até a massa soltar das bordas do pirex. Deixe esfriar pelo menos 25 minutos antes de partir. Esse bolo fica perfeito vários dias se guardado coberto com um filme plástico na geladeira. É só esquentar um pouco no forno antes de servir de novo com uma bola de sorvete!

4 de fevereiro de 2009

Vou dizer logo: eu nunca gostei de quiabo, de forma alguma, nem quando me juravam de pés juntos que a tal baba não estava lá, que aquela era uma receita perfeita, que aquele prato com quiabo tal e tal era feito desde sei lá quando e todo mundo amava. Nem assim eu achava a menor graça. Até que o meu mais novo amigo de infância grande amor, o Ottolenghi, a quem continuo fazendo juras de amor eterno me prometeu a mesma coisa… Mas o quê não fazemos por amor, perguntei eu??? Não resisti ao pedido, ali na pagina 43, feito com tanto carinho, para experimentar a receita. Obedeci prontamente e hoje mesmo testei a receita. E tenho que admitir, totalmente isenta de más intenções, é uma delicia. Mesmo.

 O quiabo tem que ser assado inteiro. E a pontinha dele, a do caule, tem que ser cortada rente ao caule, para não entrar ar nas sementes, o que produz a tal baba. Esses quiabos podem ser servidos quentes, ou em temperatura ambiente, e fazem uma excelente refeição para esses dias de calor aqui no Rio de janeiro. Serve 2 a 4 pessoas.

  •  ingredientes

  • 500 gramas de quiabos
  • 5 colheres de sopa de azeite
  • 2 dentes de alho
  • 1 pedaço de gengibre (10 gramas aproximadamente), picadinho
  • ¼ colher de chá pimenta calabresa
  • 300 gramas de tomatinhos cereja (ou 3 tomates grandes bem maduros)
  • 2 colheres de sopa de açúcar
  • 1 ½ colher de sopa de coentro picado
  • Sal e pimenta
  •  
  • modo de preparo

  • 1. Pré-aqueça o forno a 200°C. Prepare o quiabo: com uma faca, corte a pontinha do caule dos quiabos tomando cuidado para não expor as sementes. Esse detalhe é fundamental para não criar a textura gelatinosa dentro do legume.
  • 2. misture o quiabo com 3 colheres de azeite, sal e pimenta do reino. Leve ao forno por 15 a 20 minutos ou até ficar tenro porem ainda crocantes.
  • 3. Enquanto isso, prepare o molho. Numa frigideira grande, aqueça o azeite. Junte o alho picado, o gengibre e a pimenta calabresa. Frite por 2 minutos . Adicione os tomates, o açúcar, e sal e pimenta a gosto. Cozinhe o molho por 10 minutos até ele engrossar um pouco.
  • 4. Quando o quiabo estiver pronto, retire do forno e ponha na frigideira com o molho. Esquente por mais 2 minutos. Sirva quente ou à temperatura ambiente, com o coentro picado por cima.
  •  

1 de fevereiro de 2009

Com tantas receitas de cookies por aí, é de se entender que eu hesitasse em postar mais uma. Cada expert no assunto tem uma receita favorita, seja ela com nozes, com mais ou menos chocolate, com texturas diferentes (mais ou menos crocante), com um pouco de essência de café, com chocolate ou cacau na massa, etc. O importante é que se encontre uma receita perfeita para si própria. E essa receita é minha. Fui moldando ela até ela se encaixar no meu ideal de cookie: um biscoito cheio de chocolate, com a massa tenra , não muito fininha, com o suave sabor de caramelo que o açúcar mascavo proporciona (que é tão típico desse biscoito americano).

Esses cookies são os preferidos aqui em casa e entre os amigos dos filhos. Não é admitida sua ausência em aniversários, comemorações, chegadas de viagem (D. já recuperou o peso perdido surfando nas praias do Peru??) , partidas para colônias de férias, e qualquer outro motivo que faça do momento uma desculpa perfeita pra mais uma leva de cookies.

  • ingredientes

  • 2 copos + 2 colheres de sopa de farinha
  • ½ colher de chá de bicarbonato de sódio
  • ½ colher de chá de sal
  • 150 gramas de manteiga sem sal, temperatura ambiente
  • 1 copo de açúcar mascavo (bem apertado no copo)
  • ½ copo de açúcar branco
  • 1 ovo + 1 gema
  • 2 colheres de chá de aroma de baunilha
  • 1 ½ copo de chocolate meio-amargo picadinho
  • modo de preparo

  • 1. Pré-aqueça o forno a 180º C. Forre 2 tabuleiros com papel manteiga.
  • 2. Numa vasilha, misture a farinha, o bicarbonato e o sal. Reserve.
  • 3. Na vasilha da batedeira, junte os açucares e a manteiga. Bate bem até e massa ficar bem fofa e cremosa, uns 5 minutos. Adicione então o ovo, a gema e a baunilha e bata mais uns 3 a 4 minutos.
  • 4. Diminua a velocidade da batedeira e adicione os secos lentamente. Quando os secos estiverem todos incorporados, pare a batedeira e com uma espátula misture o chocolate picado.
  • 5. Nesse ponto, você pode tampar a vasilha e por na geladeira se não for assar os cookies imediatamente. A massa fica inclusive mais fácil para manusear.
  • 6. Com uma colher de sobremesa, ou com as mãos, faça bolinhas do tamanho de uma bola de ping-pong. Ponha-as no tabuleiro. Quando o tabuleiro estiver pronto, asse por 15 a 18 minutos. Atenção: os cookies vão parecer crus; è assim mesmo. Quando esfriarem, estarão perfeitos. Retire imediatamente do forno. Deixe esfriar 5 minutos e retire-os com uma espátula. Deixe-os acabar de esfriar numa grelha.
  • Dicas:
  • .Não asse mais de 1 tabuleiro por vez. Não sei qual a razão, provavelmente a temperatura do forno cai , comprometendo o cookie.
  • .Não use o tabuleiro quente, saindo do forno para preparar a próxima fornada. O tabuleiro tem de estar totalmente frio antes de por as bolinhas de massa.
  • .Se quiser usar nozes, diminua a quantidade de chocolate proporcionalmente.
  • .Se preferir um cookie mais crocante, asse por mais 3 a 4 minutos.
  • . Brinque com os tipos de chocolate. Meu filho adora chocolate branco misturado com o chocolate meio-amargo.

« Página anterior