simplesmente delícia

Arquivo da categoria 'sorvetes'.

10 de novembro de 2009

  • A primeira vez que provei um sorbet parecido com esse, usando frutas frescas e de época, foi na casa de amigos muito queridos. Um dos convidados, prendado na cozinha, havia levado de sobremesa: era como se eu tivesse comendo a fruta gelada, com pedaços de fruta, e com pouco açúcar adicionado.  
  • Quando ganhei recentemente algumas frutas bem maduras resolvi tentar recriar aquele momento. Como em todo bom sorbet, o que brilha aqui é a fruta-do-conde, por isso a qualidade desta é fundamental. Use sempre frutas bem maduras, já querendo se abrir e exalando todo seu perfume. Porquê esse sorbet é particularmente leve em sua textura mas muito perfumado, ele é perfeito servido tanto após uma refeição mais caprichada quanto para tentar apaziguar os ânimos encalorados desse nosso inicio de verão.
  •  
  • Não desanime pensando em todos os caroços que tem que ser catados. Eu prometo que se sua fruta-do-conde estiver bem madura, o caroço sai fácil, fácil. E o tempo gasto no processo vai ser rapidamente esquecido quando você provar o sorbet pronto!
  • E como não sou nenhum a expert em sorbets e sorvetes, segue o link do grande  David Lebovitz para tutorial sobre como fazer sorvete sem maquina.
  •  
  • E finalmente, fugindo um pouco do assunto, adicionei um botão para quem quiser receber  notificação de post novo do Simplesmente Delicia na sua caixa de correio eletrônico. È só escrever o seu email ali no lado esquerdo da pagina do blog e seguir as instruções!
  •  
  •  
  •  ingredientes

  • 8 frutas do conde, bem maduras
  • 1 limão
  • 1 copo de açúcar
  • 1 copo de água
  •  
  • modo de preparo

  • 1. Numa panelinha, ponha a água e o açúcar e leve ao fogo até ferver. Deixe ferver por uns 3 minutos ou até dissolução do açúcar. Ponha numa vasilha e leve a geladeira até a calda estar gelada.
  • 2. Retire todos os gomos das frutas. Ponha um pouco de gomos numa peneira de cada vez.   Com uma espátula, vá esfregando os gomos contra as laterais da peneira para retirar os caroços. À medida que os caroços forem saindo, vá retirando-os e colocando a polpa limpa numa vasilha.  Faça isso com todas as frutas. Não se esqueça de raspar as cascas para retirar a polpa que fica na casca. Só tome cuidado para não raspar demais e retirar a parte arenosa da fruta. Ponha toda a polpa (e qualquer liquido que tiver pingado na vasilha) numa mesma vasilha.
  • 3. Esprema o suco de uma metade de limão e ponha na polpa de fruta-do-conde. Prove e adicione mais se necessário. Eu usei ¾ de um limão para essas 8 frutas, mas isso vai depender da maturidade das frutas que estiver usando.
  • 4. Quando a calda estiver bem gelada, vá incorporando-a a polpa de fruta-do-conde. Faça isso bem aos pouco, provando entre cada colherada pois a quantidade exata de calda vai depender do teor de açúcar das frutas (eu usei a metade da calda). Acrescente sempre um pouquinho mais do que parece razoável pois o paladar do açúcar diminui depois de gelado.
  • 5. Leve o creme de frutas-do-conde a geladeira para gelar mais um pouco. Quando a mistura estiver bem gelada, ponha na sua sorveteira e siga as instruções da mesma.
  •  
  • Outra Boa Idéia: Sorvete de Canela Caramelizada e Figos

25 de setembro de 2009

Não resta a menor duvida que eu não sou fã incondicional de sorvetes. Quer dizer, raramente perco meu tempo indo atrás de sorvete em lojas mas aqui em casa é outra historia. Tenho uma sorveteira que uso esporadicamente, é verdade. Mas quando uso, vira uma obsessão. Quer dizer, é aquela velha historia, para fazer tem que fazer super bem feito. E eu estava meio obcecada com a idéia desse sorvete há algum tempo. Você sabe, eu ganhei um livro do meu querido pai que é uma jóia. Literalmente. Não, não, não estou exagerando. Tem preço de jóia, é bonito como uma e me é precioso como tal. Quando em Paris da ultima vez, eu amarelei e acabei não comprando. Mas não se engane. Comprei muitos outros livros mas acho que na hora H, não tive coragem pra esse. Mas vocês sabem como é: um olhar languido, um chorinho aqui e outro ali, um gemido de tristeza e meu pai estava perdido: 3,760 kg de livro na bagagem! Ele não é o máximo?? Ah mas eu também sou! Quando eu volto- e espero que não tenha ninguém da alfândega do Rio lendo meu blog- minha mala volta cheia de Brie au lait cru (rodas inteiras, senão não vale), tommes de Savoie (inteiras, obviamente), garrafas de vinhos, alem claro, de umas 32 revistas e jornais que ele devora como se não existisse essa coisinha pratica chamada internet…

Enfim, voltando ao livro, PH (como Pierre Hermé é conhecido) é uma constante inspiração. Assim como o Ferran Adrià nos salgados, PH revolucionou a pâtisserie no século 20. E esse livro, um catalogo de todas as suas receitas, é um testamento a sua genialidade. E foi nele onde primeiro vi uma receita parecida com essa. Na realidade uma mistura de sorbet de framboesas com sorvete de canela caramelizada e molho de figos. Devido a sua complexidade (glicose atomizada, estabilizador para sorvetes), adaptei a receita para um uso mais caseiro. E aproveitei um jantar na casa  de amigos queridos para servir com os biscoitinhos de amêndoas.

Como não sou nenhum a expert em sorvetes, segue o link do grande  David Lebovitz para tutorial sobre como fazer sorvete sem maquina.

  •  ingredientes

  • 1 ¼ copos de açúcar
  • 6 bastões de canela
  • 3 copos de leite
  • 1 copo de creme de leite fresco
  • 1 pitada de sal
  • 10 gemas de ovos
  • 400 gramas de figos cristalizados, picados sem o talo mais duro.

  •  
  • modo de preparo

  • 1. Com um martelo ou um rolo, quebre bem os bastões de canela. Ponha-os numa panela grande e junte 1 copo de açúcar. Leve ao forno médio até formar um caramelo. Cuidado com o ponto do caramelo: queremos uma bela cor âmbar, mas não deixe queimar para não ficar com o gosto amargo. Se começar a sair fumaça, é que o caramelo está queimando! Tire logo a panela do fogo!
  • 2. Assim que chegar ao ponto certo, entorne o leite e o creme de leite no caramelo. Muito cuidado nessa hora porque a mistura vai borbulhar ferozmente. Misture até dissolver todo o caramelo.
  • 3. Enquanto o caramelo estiver dissolvendo em fogo baixo, bata as gemas de ovo com o sal e o ¼ de açúcar na batedeira. Diminua a velocidade da batedeira e acrescente, pingando, um pouco do creme de caramelo. Faça isso bem devagar para não cozinhar as gemas. Adicione pelo menos 1 copo do caramelo nas gemas, sempre bem devagar.
  • 4. Pare a batedeira e, fora do fogo, entorne todo o creme de gemas na panela. Leve ao fogo baixo e misture com uma espátula até formar um creme bem espesso. Se você tiver um termômetro de cozinha, cozinhe até 85ºC graus. Retire a panela do fogo e misture sem parar durante uns 5 minutos para esfriar o creme. Você pode também por a panela numa vasilha com gelo para o creme parar de cozinhar mais rápido.
  • 5. Não peneire o creme agora! Quando estiver a temperatura ambiente, ponha numa vasilha, tampe e leve a geladeira por no mínimo 24 horas.
  • 6. Retire a vasilha da geladeira e passe o creme por uma peneira para retirar os pedaços de canela. Descarte-os. Prossiga com o creme seguindo as instruções de sua sorveteira. Quando o sorvete estiver pronto, acrescente os figos picados misturando com uma espátula. Leve ao freezer.
  •  
  • Outra Boa Idéia: Sorvete de Limão

5 de março de 2009

Eu não sei se foi o calor desse verão sem fim aparente, mas eu ando só pensando em sorvetes. E para ser mais sincera, um sorvete especifico, de uma sorveteria única. E claro que essa fica bem longe do meu atual recôncavo senegalês carioca. Então na minha total incapacidade de arrumar uma excelente desculpa para ir passar uns dias na minha querida Toscana matar as saudades, resolvi, ou melhor, fiquei obcecada com a idéia de re-fazer o dito sorvete aqui. É claro que já tentei rastrear a receita mas pelo visto a Vivoli não anda sendo generosa com a partilha de seus tesouros pois minha busca tem sido em vã…

Mas resolvi tirar a sorveteira do armário e por ela pra funcionar. Ainda estou trabalhando na receita que esta me mantendo acordada a noite, literalmente. Não, eu não estou brincando nem exagerando… E eu já havia mencionado aqui e aqui meu profundo amor pelo suspiro, então juntou isso com aquilo e vocês entendem como o dito sorvete (Meringata é o nome do dito cujo) é o mais novo culpado por essas noites mal dormidas. No ínterim , essa receita de sorvete de limão é uma delicia pois foge do clássico sorbet a base de água. O sabor final é como uma torta de limão, graças à adição dos ovos, doce o suficente mas sem matar o perfume do limao. Ainda estou a procurar qual o biscoito perfeito para servir com esse sorvete mas até as ultimas sondagens aqui proferidas, um biscoitinho de gergelim é o seu acompanhamento perfeito. 

  •  
  • ingredientes

  • 1 colher de sopa de cascas de limão raladas
  • ½ copo de suco de limão
  • 1 copo de açúcar
  • 3 gemas de ovo
  • 2 copos de creme de leite fresco
  • ½ colher de sobremesa de aroma de baunilha
  •  
  • modo de preparo

  • 1. Numa panelinha, ponha as raspas de limão, o suco de limão e o açúcar. Misture bem e acrescente as gemas, 1 copo de creme de leite e a baunilha.
  • 2. Em fogo médio/alto, ferva o creme misturando o tempo todo com uma colher de pau. Assim que ferver e engrossar, tire do fogo. Passe o creme pela peneira e com uma espátula , esprema bem as cascas de limão. Você pode deixar as raspas no creme se quiser também. Imediatamente cubra a vasilha com o creme com um filme plástico e leve a geladeira.
  • 3. Quando o creme estiver bem gelado, e isso pode levar muitas horas (eu deixo na geladeira de um dia para o outro), adicione o 1 copo de creme de leite restante, e volte à geladeira. Quando estiver de novo bem gelado, ponha o creme na sua sorveteira e prossiga como recomendado.

  •  

« Página anterior