simplesmente delícia

Arquivo da categoria 'saladas'.

31 de maio de 2012

  • Eu não tenho muita paciência nem animo para cozinhar quando estou sozinha. Gosto de ter gente em volta e motivo para cozinhar. E quando estou sozinha, não tenho nem um nem outro, portanto o que sobra na geladeira e na dispensa acaba servindo o simples proposito de me alimentar. Às vezes os restos são dignos de uma refeição mas muito frequentemente me vejo comendo torrada de pão (light- ó tristeza) com queijo cottage (o Verde Campo, o unico que essa sua digníssima locutora aceita consumir), ou então um monte de tomates picados com vinagre balsâmico. Mesmo assim a vontade de preparar um prato só para mim continua nula. Então não sei bem explicar o que me levou a fazer essa salada, um dia de muito trabalho e pouco tempo para frivolidades como ‘preparar almoço para minha própria alma penada’ mas o resultado me deixou encantada. Alias, é difícil errar uma salada de batata não? A menos que se cozinhe mal as batatas (i.e. as batatas estejam cruas), batata é uma coisa tão fácil e reconfortante que no meu dicionário, quase tudo agregado a ela fica ótimo.  E se você não tiver castanhas do Pará, use nozes. Eu adoro castanhas do Pará e qualquer motivo para usa-las num prato me delicia, e aqui elas dão, nesse ‘pesto’ reformado, uma linda dimensão.
  • Eu fiz essa salada com o que tinha em casa mas já estou pensando em algumas coisas que podem ser acrescentadas que podem dar um toque extra especial: palmito, cebola roxa, tomates cereja, aipo picado, castanhas em lascas, etc. e tal.
xx
  • ingredientes

  • 1 kg de batatinhas
  • 2 colheres de sopa de azeite de oliva
  • 2 pitadas de sal
  • 3 copos de salsinha fresca
  • 1/3 de copo de azeite de oliva
  • 1 dente de alho
  • 1/3 copo de castanha do Pará
  • 1 limão (suco)
  • modo de preparo

  • 1.       Pré-aqueça o forno a 180º C e forre um tabuleiro com papel manteiga ou alumínio. Lave e seque bem as batatinhas. Se algumas estiverem maiores do que as outras, parta-as para que fiquem todas do mesmo tamanho. Ponha numa vasilha e misture-as bem com as 2 colheres de sopa de azeite e o sal. Ponha as batatinhas no tabuleiro e leve ao forno. Asse por 50mns a 1 hora ou até as batatas estarem cozidas.
  • 2.       Você pode também cozinhar as batatas em agua, na panela, mas pessoalmente, eu gosto da textura que as batatas assadas têm.
  • 3.       Depois de assadas, tire do forno e deixe esfriar antes de juntar o molho.
  • 4.       Na vasilha do processador, ponha a salsinha, o azeite de oliva, o dente de alho, as castanhas e o suco de meio limão. Triture bem, parando a maquina uma vez pelo menos para limpar as laterais com uma espátula.  Quando as castanhas estiverem bem trituradas e moídas com a salsinha, pare o processador e ajuste o tempero, com mais limão, azeite e sal, se necessário. Se o molho ainda estiver um pouco grosso, junte 1 ou 2 colheres de sopa de agua filtrada e processe mais um pouco.
  • 5.       Misture o molho às batatas e sirva fresco ou a temperatura ambiente.
Outras Boas Idéias: Salada de Batata com Bacon, Batatas Chips Grelhadas de Vinagre e Sal, e Salada de Batata com Palmito e Cominho

22 de março de 2012

  • Dizem as antigas escrituras de astrologia que quem nascer com Aquário por Ascendente amará seu par até o fim da vida. E o meu par perfeito, pelo menos culinariamente falando, é meu querido Ottolenghi. Como já me detive tempo demais nesse assunto, vou poupar aqueles que ainda não conhecem minha obsessão com ele de mais prosas floridas a respeito desse lugar, dos cozinheiros e da comida.
  • Em fevereiro, fui lá à Meca almoçar e provei essa salada, pela qual me apaixonei. A versão original levava cardamomo, que eu adoro também mas é mais difícil-e caro- de ser encontrado aqui no Brasil. E o crocante original são sementes de girassol mas como temos nossas castanhas do Pará, optei por essas- e acho que ficou inclusive mais interessante.
  • Para quem ainda não conhece o Sumac, vale a pena começar por essa receita. O Sumac é uma especiaria feita das frutas de uma pequena arvore do Mediterrâneo e norte da África. Ela confere um gosto cítrico e pungente a saladas e carnes. Eu uso bastante em frango grelhado.
  • Sirva essa salada com coalhada seca ou folhas verdes, e/ou acompanhando uma carne grelhada.
  • ingredientes

  • 900 gramas de abobora madura (pesada sem a casca), ou 6 copos dela picada
  • 1 ½ colher de sopa de azeite
  • 1 colher de chá de páprica
  • ½ copo de salsa picada
  • ½ copo de hortelã picada
  • 1 colher de chá, rasa, de Sumac*
  • 1/3 copo de castanhas do Para em fatias, salgadas
  • ¼ copo de vinagre balsâmico
  • Raspas de ½ limão
  • 3 colheres de sopa de azeite de oliva
  • modo de preparo

  • 1.       Pré-aqueça o forno a 200 graus e forre um tabuleiro com papel manteiga. Descasque e corte a abobora em pedaços. O tamanho é de sua preferencia,; eu gosto dos pedaços de um tamanho que não precisem ser cortados na salada pronta. Ponha as aboboras numa vasilha, e misture com 1 ½ colher de sopa de azeite. Junte a páprica e tempere com sal e pimenta do reino. Misture tudo muito bem para que as aboboras fiquem bem envoltas de azeite e páprica. Ponha no tabuleiro e leve ao forno pré-aquecido.
  • 2.       Asse até as aboboras estarem cozidas e as pontinhas começarem a queimar. O tempo exato vai depender da abobora que você usou mas conte entre 30 minutos e 1 hora. Retire do forno e deixe as aboboras esfriarem completamente antes de montar a salada.
  • 3.       Quando a salada estiver à temperatura ambiente, junte a salsa e a hortelã, o Sumac, e as castanhas do Pará em lascas, salgadas. Se você não encontrar as castanhas salgadas, use as naturais mesmo, torrando-as ligeiramente no forno e picando grosseiramente.
  • 4.       Misture tudo e reserve enquanto prepara o molho. Numa vasilha , ponha o vinagre balsamico e as raspas de limão. Tempere com sal e pimenta. Quando o sal houver diluído no vinagre, adicione o azeite e mexa bem com um garfo. Você pode servir a salada temperada ou com o molho a parte (nota: a quantidade de molho é um pouco maior do que o necessário para temperar a salada).
  • Outras Boas Idéias: Risoto de Abobora e Camarão e Sopa de Ervilhas com Croutons de Aboboras
  • *O Sumac está à venda em lojas de produtos árabes ou nos bons supermercados

30 de dezembro de 2011

  • Eu não escondo de ninguém que sou uma criatura de hábitos. Quer dizer, eu costumo ir aos mesmos restaurantes aonde acabo pedindo a mesma coisa sempre. É logico que eu acho isso um tanto patético e toda vez decido que vou mudar o status quo e comer outro prato. Aí passo um tempo considerável analisando todo o cardápio, questionando cada prato, pensando no que me daria prazer, para invariavelmente resolver que o que eu quero mesmo é aquele prato de sempre. Isso não tem muito problema quando o prato em questão está disponível, mas quando por algum motivo o prato não está sendo oferecido, as coisas podem ficar complicadas. Para eles, logico. As desculpas do dito restaurante normalmente veem com explicações cuja elaborada formalidade do discurso por um triz não soa absurda. Enfim, não é como se eu fosse entregar o  R2-D2 e o C-3PO * para o Lado Negro da Força mas digamos que a vontade existe.
  • Essa salada é inspirada num prato que eu como sempre num simpático restaurante aqui do Rio de Janeiro (alias tem vários pela cidade). A salada do Gula Gula é de carne desfiada e o molho não leva curry, mas o principio é o mesmo. São sabores e texturas frescos e contrastantes que sempre me acalmam a alma.
  • E desde já, os meus votos para o ano novo são os mesmos de sempre: um ano de 2012 cheio de novas conquistas, sempre olhando para frente com boas lembranças do passado, e nos tornando sempre pessoas melhores. Um beijo grande!
  • * Guerra nas Estrelas
  • Essa salada serve 4 pessoas
  • ingredientes

  • ½ frango (1 coxa, 1 sobrecoxa, 1 peito e 1 asa)
  • 1 folha de louro
  • 1 cenoura pequena
  • ½ colher de sopa de tomilho seco ou 1 colher de sopa de tomilho fresco
  • 1 colher de chá de grãos de pimenta
  • 2 mangas maduras, porem ainda firmes
  • 300 ml de iogurte natural
  • ½ copo de maionese (normal ou light)
  • 1 colher de chá de Curry
  • ½ colher de chá de coentro em pó
  • Suco de ½ limão
  • Sal e pimenta
  • Alguma pimenta vermelha, tipo Tabasco, ou Sriratcha
  • Folhas verdes
  • Batata Palha (opcional)
  • modo de preparo

  • 1.       Numa panela grande ponha todo o frango e cubra com agua. Adicione a folha de louro, a cenoura partida em dois ou três, o tomilho, e a pimenta. Leve ao fogo médio/baixo e deixe o frango cozinhar por uma hora. Ao longo do cozimento, retire com uma colher qualquer espuma que se formar na superfície e descarte. Depois de uma hora, apague o fogo e deixe o frango esfriar dentro do caldo que se formou. Isso pode ser feito de véspera.
  • 2.       Retire o frango do caldo. Você pode usar esse caldo para fazer sopas, risoto, cozinhar arroz, etc. Usando as mãos, retire a pele do frango e descarte-a. Solte os pedaços de frango dos ossos e reserve-os.
  • 3.       Descasque as mangas e corte-a em pedaços médios. Reserve. Lave e seque bem as folhas de alface.
  • 4.       Na vasilha do liquidificador, ponha o iogurte, a maionese, ½ colher de chá de Curry, o coentro, e o suco de limão. Bata bem e ajuste os temperos com sal e as pimentas. Eu uso 1 colher de chá de curry mas isso vai depender muito do curry que você usa. Comece com ½ colher de chá e acrescente mais a gosto.
  • 5.       Monte a salada com as folhas por baixo, o frango e as mangas por cima. Regue com o molho somente na hora de servir e ofereça batata palha e mais molho à parte.
Outras Boas Idéias: Salada de Arroz com Mangas e Vinagrete de Limão e Salada de Repolho e Maçãs com Molho de Curry

17 de outubro de 2011

  • É olhando um prato desses que realizo a importância da sedução na comida, nas cores e texturas daquilo que servimos. Até aqueles que não gostam de manga - sim, vocês sabem quem são - não vão poder negar a atração entre essa fruta e o tomate. E por cima ainda se derrama a cebola roxa, que cria uma textura conflitante, tão perfeita e o manjericão, com seu indomitavel perfume e colorido. Eu poderia criar varias desculpas mas a verdade é que essa salada é perfeita para mim. As cores, os contrastes de texturas e perfumes são altamente sedutores. É assim que eu entendo quando falamos em ‘comer com os olhos’… Pensando bem, é uma salada muito sexy. Perfumada, interessante, surpreendente, e simples.  Depois de um prato como esse, só uma sobremesa de chocolate com alguma calda indecente e eu sou uma pessoa feliz, feliz.

  • E sim, acho que comida tem que ser bonita, colorida, interessante. Pessoalmente, não gosto de enfeitar pratos: um morango partido ao lado do bolo de chocolate, um ramo de salsinha em cima do arroz, etc. não tornam, pelo menos para mim, o prato mais interessante. Acho que a comida deve falar por si própria- se a comida for bonita, não precisa de enfeites desnecessários.  Prefiro arrumar meus pratos apenas com algum produto que, de fato, foi usado na receita ou que agregue real valor à comida.

  • Se você não conhece a flor de sal, essa salada é um excelente motivo para sair comprar sua primeira caixinha. A flor de sal é um luxo, um requinte, e hoje em dia indispensável aqui em casa. Ela é usada sempre como acabamento (e não para salgar a comida enquanto cozinha) por isso, apesar da caixa de flor de sal ser mais cara (ok, bem mais cara), ela rende muito. Nessa salada esse sal serve para criar outra dimensão. O sal vai potencializar os sabores e fazer com que tudo se harmonize. Eu trouxe alguns tipos de Flor de Sal temperados de viagem, que a filha adora salpicar por aí e uso muito também em cima de sobremesas de chocolate e caramelo. Experimente por um pedaço de chocolate meio amargo em um pedaço de pão, levar ao forno alguns minutos e em seguida salpicar alguns grãos de flor de sal em cima. Você vai ver o que é viajar para outra galáxia.

  • Eu tinha calculado que essa salada serviria umas três pessoas. Logico, teriam que ser três pessoas normais, razoáveis, e isso obviamente não me inclui, pois comi a salada toda sozinha.
  • ingredientes

  • 1 manga grande, madura porem ainda firme
  • 4 tomates bem maduros (é o único ‘segredo dessa salada: MADUROS)
  • ½ cebola roxa
  • 4 colheres de sopa de vinagre de vinho tinto
  • 6 colheres de sopa de azeite extra virgem
  • Manjericão fresco
  • Azeite
  • Flor de sal
  • modo de preparo

  • 1.       Corte a cebola roxa em fatias bem finas, ponha numa vasilha media e regue com 2 colheres de sopa de vinagre de vinho tinto. Salpique uma boa pitada de sal e deixe as cebolas amolecerem 10 minutos.
  • 2.       Enquanto isso, Descasque a manga e corte-a em fatias. Reserve. Parta os tomates ao meio, retire as sementes, e corte em fatias ou pedaços. Em um prato de servir, arrume os tomates e a manga partida. Disponha as cebolas por cimas e salpique o todo com o manjericão fresco
  • 3.       Numa vasilha pequena, misture bem as 2 colheres restantes de vinagre de vinho tinto com o azeite. Mexa bem e regue a salada, ou sirva a parte. Salpique um pouco de flor de sal. Sirva imediatamente.
Outras Boas Idéias:  Salada de Repolho com Maçã e Molho de Curry e Salada de Laranjas e Beterraba

5 de setembro de 2011

A situação meteorológica dessa minha cidade tem dado sinais de demência . Um dia está mais para saladas e no outro, sopas.  E quando digo sopas, estou falando de sopas cheias de coisas tão boas que passamos a nem mais contar calorias, bem ricas e quentes e que façam qualquer coração peremptório se sentir aquecido. Mas no dia dessa salada, os termômetros estavam bem aquecidos.

Tirei esse molho inglês do fundo do baú, literalmente. Não sei se é só comigo mas quando eu era criança, molho Inglês era um tempero comum na casa da minha mãe.  Qualquer sopa tinha que ter molho Inglês. E depois o dito molho sumiu. Quer dizer sumiu da minha vida. Não sei se foi o tempo, ou se era mais um modismo, mas o fato é que nunca mais usei . Hoje, confesso que  tenho em casa mas uso raramente. Até acontecer essa salada. Eu adoro essa combinação abacate e amendoins, e acho que o palmito fica perfeito nesse casamento. É claro que você pode fazer um vinagrete simples sem o Molho Inglês, mas ele dá outra dimensão ao molho com seu sabor ligeiramente adocicado.

    ingredientes

  • 1 abacate médio, maduro
  • 1 pote de palmitos, orgânicos
  • ½ copo de amendoins salgados
  • 2 limões
  • 1/3 copo de azeite de oliva extra virgem
  • 1 ½ colher de sopa de Molho Inglês (Worcestershire sauce)
  • Sal e pimenta
  • Verdes variados, que incluam agrião, chicória, escarolas ou rúculas
  • modo de preparo

  • 1.       Numa pequena vasilha, ponha o molho Inglês e tempere com sal e pimenta do reino. Mecha bem e adicione o azeite . Eu gosto de fazer isso num pote de vidro com tampa para poder agita-lo bastante e depois guardar na geladeira . Ajuste o tempero com limão: eu gosto de usar um ou dois limões aqui.
  • 2.       Parta o abacate em dois, em seguida parta em segmentos e depois em cubos. Imediatamente esprema o suco de ½ limão por cima e misture delicadamente.  Reserve.
  • 3.       Escorra os palmitos, pique em pedaços do tamanho dos pedaços dos abacates.
  • 4.       Lave bem e seque as folhas verdes. Não tem muita regra quanto aos verdes mas é interessante usar alguma folha mais rica como agrião, rúcula, chicória ou escarola. Nessas fotos eu usei um mix de folhas aonde vem um pouco de tudo. Perfeito.
  • Na hora de servir a salada, prepare as folhas verdes no prato e disponha os abacates e os palmitos por cima. Salpique tudo com os amendoins. E por favor não se acanhe em usar mais amendoins. Eu adoro sentir esse crocante nessa salada. E regue com um pouco de molho. Sirva o resto do molho à parte.
Outras Boas Idéias: Salada de Abacate com Pesto e Rucula e Salada de Batata com Bacon

« Página anterior - Próxima página »